Joel Almeida denuncia perseguição no governo Déda

24

A afirmação foi feita no programa Jornal da Ilha, comandado pelo radialista Gilmar Carvalho, que entrevistava a professora Enivalda da base regional do sindicato de Itabaiana. NE notícias – O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe Joel Almeida confessou hoje que vários professores ligados ao Sintese estão sofrendo perseguições até maiores que enfrentadas no governo João Alves Filho. A afirmação foi feita no programa Jornal da Ilha, comandado pelo radialista Gilmar Carvalho, que entrevistava a professora Enivalda da base regional do sindicato de Itabaiana.

Segundo denúncia recebida por Gilmar, a professora tem enfrentado problemas com a diretora da Escola Estadual Nestor Carvalho Lima, Luci Floresta. Recentemente, a diretora chegou a impedir o andamento de uma assembléia que acontecia nas dependências do colégio, alegando que qualquer reunião só poderia acontecer com a sua autorização. No encontro, professores e alunos discutiam o processo de gestão democrática na escola.

“Nem no governo João Alves havia tanta perseguição. Este caso de Itabaiana não é isolado. Trata-se de uma pessoa que não tem preparo para assumir a função”, protestou Joel Almeida. O presidente do Sintese disse que terá uma reunião com o secretário de Estado da Educação, José Fernandes Lima e, entre outros assuntos, vai levar essa situação de Itabaiana.

“Caso o secretário não dê uma solução para esse problema, que envolve uma companheira de luta pela melhoria da qualidade da educação pública, vamos organizar um ato de protesto em frente à escola”, avisa o sindicalista.