SINTESE repudia prisão e agressão de professora de Divina Pastora

31

Num claro desconhecimento do papel do cidadão a juíza decretou a prisão da professora Maria Jivanilde dos Santos da rede municipal de Divina Pastora. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe repudia veementemente a atitude arbitrária da juíza da Comarca de Divina Pastora, Soraia Gonçalves de Melo. De acordo com o presidente do SINTESE, Joel Almeida, o sindicato entrará com uma representação contra a juíza no Tribunal de Justiça.


Num claro desconhecimento do papel do cidadão a juíza decretou a prisão da professora Maria Jivanilde dos Santos da rede municipal de Divina Pastora. A professora participou no início da manhã de um ato público no município junto dos demais servidores municipais. Eles protestavam contra o atraso nos salários, falta de políticas públicas para a Educação e cobravam uma intervenção do Ministério Público.

Maria Jivanilde compareceu ao fórum para participar de uma audiência sobre questão pessoal. A juíza sem explicação aparente começou a discorrer sobre a “irresponsabilidade” da educadora em participar do ato e determinou que ela fosse presa. De acordo com testemunhas a juíza ainda agrediu a educadora com safanões.

O presidente do SINTESE Joel Almeida, acompanhado do assessor jurídico, foi a Divina Pastora para solucionar o problema. Após ter prestado de depoimento, na presença do advogado do SINTESE, a professora foi liberada. Provavelmente ela responderá a um processo, que há possibilidade de chegar ao Tribunal de Justiça, pois a agressão da juíza consta dos autos.

Toda a diretoria do sindicato ficou surpresa e indignada com a ação da juíza. “Sem mais nem menos a professora foi presa. É inconcebível que uma magistrada não compreenda o direito, garantindo constitucionalmente, de cidadão se manifestar contra uma administração municipal. Repudiamos a ação da magistrada”, criticou o presidente do SINTESE, Joel Almeida. Informações dadas pelos manifestantes é que a juíza sempre tem posição contrária aos atos promovidos pelos movimentos sociais.

O deputado Iran Barbosa (PT-SE) também manifestou na Câmara Federal repúdio a atitude da magistrada. Ele anunciou que vai ingressar no Conselho Nacional de Justiça contra a juíza.


Denuncie este caso

Clique aqui e ajude a denunciar esse caso
ajude a denunciar


O SINTESE solicita de todos os companheiros e companheiras, bem como das entidades sindicais e sociais que enviem essa matéria para solicitar às autoridades competentes do município de Divina Patora-Sergipe-Brasil que se faça respeitar a legislação Federal da liberdade e organização sindical.

A ofensiva neoliberal para acabar com movimento sindical aparece em pequenas localidades para servir como exemplo para que outros governos façam o mesmo. Diante disso, a unidade da classe trabalhadora é o único caminho para derrotarmos o capital na construção do socialismo.

A direção do SINTESE solicita que cada companheiro e companheira possa ampliar essa rede de solidariedade enviando esta matéria para diversas pessoas e entidades, de modo que possamos reverter essa atitude autoritária.