Professores lançam moção de repúdio ao deputado Jackson Barreto

33

Uma de apelo ao corregedor geral do Tribunal de Justiça, Luiz Mendonça e uma de solidariedade a professora Maria Jivanildes Santos que foi agredida pela juíza Soraia Gonçalves de Melo no último dia 25 de setembro em Divina Pastora. Os professores aprovaram na assembléia geral realizada na última quarta-feira, 03, três moções. Uma de repúdio ao deputado federal Jackson Barreto (PMDB). Uma de apelo ao corregedor geral do Tribunal de Justiça, Luiz Mendonça e uma de solidariedade a professora Maria Jivanildes Santos que foi agredida pela juíza Soraia Gonçalves de Melo no último dia 25 de setembro em Divina Pastora.

Os professores repudiaram o pronunciamento do deputado sobre a atitude da juíza, considerando-o “intempestivo e precipitado”. A juíza agrediu física e moralmente a professora, inclusive dando ordem de prisão. O documento cita também que a ação da juíza foi um evidente “abuso de poder” e que o deputado deveria assegurar da veracidade dos fatos. “A professora fez exame de corpo delito e a agressão foi confirmada, estranhamos que o deputado tenha feito uma defesa tão veemente”, disse o diretor de Comunicação do SINTESE, Roberto Silva Santos.

A moção de apelo ao Corregedor Geral do TJ vem reforçar a representação, contra a juíza Soraia, que o SINTESE protocolou também na última quarta-feira. “Esperamos que ela seja punida exemplarmente, afinal houve um claro desrespeito aos direitos do cidadão”, apontou o presidente do SINTESE, Joel Almeida.

Na quinta, dia 04, aconteceu no município de Divina Pastora um ato público de solidariedade a professora Jivanildes.

Leia as Moções