Professores de Malhador em greve por tempo indeterminado

23

As péssimas condições das escolas, os baixos salários e o não cumprimento da legislação educacional levaram os professores da rede municipal de Malhador a paralisar as atividades por tempo indeterminado desde o dia 08 de outubro. As péssimas condições das escolas, os baixos salários e o não cumprimento da legislação educacional levaram os professores da rede municipal de Malhador a paralisar as atividades por tempo indeterminado desde o dia 08 de outubro.

Há vários anos o magistério municipal tem tentado negociar o cumprimento do Plano de Carreira e Remuneração do Magistério – PCRM. O salário base dos professores está congelado desde 2003, ferindo artigo 37, inciso X da Constituição Federal que garante revisão anual dos salários. Apesar de constar no PCRM a prefeitura não tem feito o pagamento da gratificação por titulação e a progressão vertical automática (mudança de nível médio para superior).

Nos últimos dias os professores têm realizado diversos atos públicos como feijoadas, via crúcis e cafés da manhã em frente a prefeitura buscando sensibilizar o prefeito Marcos Erlan a se reunir com os educadores e buscar alternativas para solução dos problemas.

As escolas municipais, principalmente nos povoados, enfrentam sérios problemas de infra-estrutura, em algumas delas faltam banheiros, em outras, telhados não oferecem segurança a alunos, professores e funcionários. O material escolar também é insuficiente.

A falta de uma política educacional com ações visando o crescimento e desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem levou o município é ter 2,6 de média no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb.