Professores de Capela podem voltar a fazer greve por tempo indeterminado

26

Assembléia do dia 17 decide se os professores param novamente as atividades Na próxima quarta-feira, dia 17, os professores da rede municipal de Capela realizam assembléia e decidem a realização de nova greve por tempo indeterminado a partir do dia 22. O motivo para a interrupção das aulas é mais uma vez a falta de compromisso com os pontos acertados com os professores. O prefeito Sukita se comprometeu a enviar o projeto de lei do Plano de Carreira para a Câmara de Vereadores, mas até agora nada.

No final do mês de setembro, a comissão de negociação do SINTESE e a prefeitura se reuniram para avaliar a proposta do Plano de Carreira e Remuneração do Magistério produzida pela prefeitura.

O sindicato já tinha se posicionado contra a proposta original, pois ela retirava diversos direitos dos professores, mas estava aberto a negociações. Na última reunião que contou com a presença dos professores foi formada uma comissão formada pelo presidente da Comissão de Educação da Câmara de Vereadores, a procuradora do município, secretária de Educação e o SINTESE. A comissão discutiu os pontos mais polêmicos e conseguiram chegar a um consenso. A partir daí o prefeito se comprometeu a enviar a proposta para a Câmara de Vereadores. Foi esse acerto que motivou a suspensão da greve pelos professores.

Mas, novamente o prefeito Sukita não cumpriu com o que acordou. “O prefeito mais uma vez desrespeita os professores e a opinião pública, pois ele foi a emissoras de rádio dizer que quem dificultava as negociações eram os professores, mas ao protelar o envio do projeto de lei para o legislativo mostra que ele não tem compromisso com a Educação do município”, disse a diretora do Departamento de Base Municipal do SINTESE, Lúcia Barroso.