SINTESE coordena comitê estadual da Campanha Nacional pelo Direito à Educação

32

O evento contou com a presença do coordenador Nacional, Daniel Cara, que na palestra de abertura elogiou a capacidade do estado de Sergipe em angariar a participação de diversas entidades da sociedade civil organizada. O SINTESE ficará como entidade coordenadora do comitê. No último dia 18 foi lançado em Sergipe o Comitê Estadual da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. O evento contou com a presença do coordenador Nacional, Daniel Cara, que na palestra de abertura elogiou a capacidade do estado de Sergipe em angariar a participação de diversas entidades da sociedade civil organizada. O SINTESE ficará como entidade coordenadora do comitê.

Assinaram o termo de adesão ao comitê: Sociedade Semear, Movimento Negro Unificado, Centro Dom José Brandão de Castro, Universidade Federal de Sergipe, Colégio Aplicação – UFS, Fórum Estadual da Educação Infantil, Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente, Comitê Estadual de Educação no Campo, Ministério Público Estadual, Sindijor – Sindicato dos Jornalistas de Sergipe, Centro Sergipano de Educação Popular – CESEP, Central Única dos Trabalhadores, Associação dos Geógrafos do Brasil – AGB/SE, Comitê Estadual de Educação no Campo, Instituto Lélia Gonzalez.

A campanha foi criada por um grupo de organizações da sociedade civil em 1999 com o objetivo de efetivar os direitos educacionais garantidos por lei. Atualmente ela é uma rede social que atua em 18 estados e articula mais de 200 entidades. Tem como objetivos: o direito a educação pública de qualidade; valorização dos profissionais de educação; investimento financeiro público adequado e gestão democrática com participação e controle social em todos os processos e âmbitos educacionais.

Para atingir estes objetivos a campanha usa como estratégias: a articulação institucional, pressão sobre as autoridades, mobilização popular, produção de conhecimentos e comunicação. Inclusive neste último ponto Daniel Cara elogiou mais uma vez o estado de Sergipe ao conseguir adesão do Sindijor para o comitê. “É importante que Sergipe tenha angariado a presença do Sindicato dos Jornalistas, pois esse é um parceiro importantíssimo”, frisou Cara.

Audiência

Outro avanço conseguido pelo SINTESE foi uma audiência com o governador Marcelo Déda. Devido a compromissos urgentes o vice-governador recebeu os membros do Comitê. Na reunião foram colocadas diversas pautas dos movimentos sociais em relação a Educação. O SINTESE colocou como pauta a questão do conselho do Fundeb, a progressão vertical e, principalmente, a realização da Conferência Estadual de Educação. “O fato de Sergipe não ter organizado a sua nos preocupa muito, pois o tempo está acabando e nosso estado corre o risco de não ter representatividade na Conferência Nacional que acontece no mês de abril”, frisou o presidente do SINTESE, Joel Almeida.

Protagonismo na escola pública

O lançamento da campanha marcou o encerramento da VIII Conferência dos Trabalhadores em Educação promovida pelo SINTESE no período de 15 a 18 de outubro. Durante os quatro dias os educadores discutiram sobre a atual política pública de anulação do papel da escola pública como protagonista da formação da sociedade brasileira. Temas como influência empresarial na educação, autonomia curricular diante da aplicação do currículo único e métodos de avaliação foram discutidos e debatidos por aproximadamente 1500 educadores.