Frei Cappio já apresenta sinais de fraqueza

53

Greve de fome do religioso completa 11 dias, mesmo período do jejum realizado pela primeira vez em 2005; a atriz Letícia Sabatela visitará o frei em solidariedade Da redação – Onze dias depois de iniciar a greve de fome contra a transposição do Rio São Francisco, o frei Luiz Cappio da Diocese da Barra (BA), já começa a apresentar sinais de fraqueza. “Ele não tem a mesma vitalidade de 11 dias atrás. Hoje, completa o mesmo tempo que ficou, em 2005, em Cabrobó (PE), sem se alimentar. Ele está um pouco mais frágil, mas está se sentindo bem”, relata Clarice Maia, assessora de imprensa do religioso.

Confira um vídeo sobre o assunto

Em outubro de 2005, às vésperas das eleições, o religioso interrompeu o jejum de 11 dias após o presidente Lula ter se comprometido a discutir projetos sócio-econômicos alternativos à transposição do Rio São Francisco e que melhorassem a convivência dos nordestinos com o Semi-Árido. Frei Luiz decidiu retomar o protesto porque o governo não cumpriu a promessa. “Nós só retomamos a greve de fome porque há dois anos nós fizemos um pacto com o presidente lula que encerraríamos em vista da abertura de um amplo dialogo nacional na busca das alternativas melhores para o povo do Nordeste. E a resposta do governo foi o início das obras, utilizando o exército brasileiro”, afirma Cappio, em vídeo divulgado pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) – assista aqui.

Para movimentos e organizações sociais, a transposição atende a projetos de irrigação destinados à expansão do agronegócio no Semi-Árido e não beneficiará nem as famílias que vivem ao lado do rio. Dados do próprio governo indicam que apenas 4% do volume de água da transposição irá para o consumo da população.

Após o início da segunda greve de fome, frei Cappio foi taxado pela mídia corporativa e integrantes do governo de “fundamentalista”. Segundo Márcia, o religioso não se abalou com os ataques. “Ele diz que as pessoas que falam assim desse modo tão destemperado e fora da realidade que vivemos aqui nessa região, estão tentando atender a interesses de acúmulo de dinheiro e expansão do agronegócio.“

Frei Cappio exige que o projeto de transposição pare e que as tropas do Exército se retirem dos locais de onde passará a obra. O religioso afirma que está disposto a entregar sua própria vida, caso suas reivindicações não sejam atendidas. Enquanto isso, a estratégia do governo tem sido tentar isolar o protesto do religioso da mídia e da própria Igreja (veja artigo).

Visita

Ao mesmo tempo, o gestão do frei tem despertado solidariedade de organizações e personalidades. No sábado (8), a atriz Letícia Sabatella visitará Luiz Cappio, em Sobradinho (BA) para manifestar apoio ao bispo. Letícia Sabatella é atriz e defensora dos direitos humanos. Tem se dedicado à defesa dos povos indígenas, dos trabalhadores sem terra e de organizações de mulheres. É uma das fundadoras do Movimento Humanos Direitos, uma organização de artistas e intelectuais que trabalha contra o trabalho escravo e outras violações de direitos humanos no Brasil.

Ela levará uma carta de apoio a Dom Cappio, assinada por outros artistas do Movimento Humanos Direitos (leia a íntegra). (com informações da RadioagenciaNP)

fonte: Brasil de Fato