SINTESE se solidariza com direção da OAB/SE

48

Para o SINTESE o tumulto provocado em frente a sede da OAB/SE não condiz com a postura daqueles que são os defensores da lei e da ordem diante de uma eleição democrática. As tentativas de depredação da sede da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Sergipe na última sexta-feira, dia 07, repercutiram negativamente também entre os professores. Para o SINTESE o tumulto provocado em frente a sede da OAB/SE não condiz com a postura daqueles que são os defensores da lei e da ordem diante de uma eleição democrática.

Os fatos aconteceram após a direção da OAB ter decidido não apurar os votos da eleição para formar a lista sêxtupla que definirá o escolhido para a vaga de desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe a decisão foi motiva porque não se atingiu o quórum mínimo.

Para o SINTESE as agressões verbais e a tentativa de agressão física ao presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade e a Cezar Brito, presidente do Conselho Federal constrangeram a classe trabalhadora, que enxergou a atitude da diretoria em não apurar os votos como legítima num processo democrático. “Se o número de votantes não atingiu o mínino estabelecimento pelo regimento eleitoral não há porque apurar os votos, o processo eleitoral deve ser refeito”, afirmou o vice-presidente Carlos Sérgio Lobão.

O SINTESE avalia que os advogados e as outras pessoas que participaram do tumulto deram um péssimo exemplo a sociedade sergipana. “As ações ocorridas em frente a OAB envergonharam não só a classe trabalhadora, mas toda a sociedade sergipana. Estamos solidários com a OAB/SE”, disse o presidente do SINTESE, Joel Almeida.