Professores de Estância e Itabaianinha fazem atos públicos

58

Em Estância os educadores ocupam as galerias da Câmara de Vereadores para pressionar os parlamentares a retirar da pauta a proposta do Plano de Carreira enviada pelo prefeito Ivan Leite. Nesta terça-feira, os professores das redes municipais de Estância e Itabaianinha realizam atos públicos em suas respectivas cidades. Em Estância os educadores ocupam as galerias da Câmara de Vereadores para pressionar os parlamentares a retirar da pauta a proposta do Plano de Carreira enviada pelo prefeito Ivan Leite. Se o novo plano for aprovado os professores vão perder direitos. Já em Itabaianinha os professores fazem passeata pelas ruas da cidade no segundo dia de paralisação que vai até o dia 22.

O sindicato discorda profundamente da proposta de Plano de Carreira apresentada pelo prefeito e o apelido de “Plano da Morte” foi dado pela categoria porque retira direitos históricos dos professores a exemplo da diminuição da regência de classe de 50% para 30% fazendo com que os salários fiquem ainda mais achatados. O prefeito assume que vai diminuir a jornada de trabalho e conseqüentemente os salários, sem consultar a categoria. O prefeito quer incutir na cabeça dos professores que a redução de salário é necessária, mas isso é inadmissível. Os educadores estão abertos ao diálogo e solicitam que o prefeito retire o projeto de tramitação na Câmara e sente com os professores para negociar.

Itabaianinha

Os educadores reivindicam reajuste salarial, melhores condições de trabalho e transparência no gasto dos recursos públicos.

Durante todo o ano passado as escolas não receberam merenda suficiente, apesar de o município ter recebido R$421.036,00 para a compra da alimentação escolar. Além da falta de merenda as condições físicas das escolas são ruins. Várias escolas estão com problemas de saneamento básico com esgotos a céu aberto. Falta material didático e até filtros e copos, os alunos são obrigados a dividirem o mesmo copo e beberem água em uma panela. Na creche municipal os alunos dormem no chão, a falta de água é constante e o mesmo o prédio não oferece condições para abrigar crianças.

Somando a tudo isso está o fato do prefeito não respeitar a lei. A Constituição Federal diz que todo ano os trabalhadores devem ter reajuste salarial, mas há quatro anos os professores da rede municipal não têm aumento nos seus salários. E não falta recursos para dar o aumento. Em 2007 a prefeitura de Itabaianinha recebeu do Fundeb mais de 11 milhões de reais e em 2008 esse valor vai aumentar porque só em janeiro e fevereiro desde ano a cidade recebeu mais de R$2 milhões.