Greve de professores é mantida em Pacatuba

56

Em assembléia lotada, o ar de revolta e angústia era visível no semblante de cada profissional do magistério naquele município. Em assembléia realizada nesta quinta-feira, 21 na sede da Câmara Municipal de Pacatuba, os professores em greve há quase dois meses, por conta do corte nos salários, decidiram dar continuidade ao movimento. Entendendo como um desrespeito do prefeito Luis Carlos Santos ao parecer da Justiça (existe uma decisão judicial de 23 de julho, concedendo o pagamento dos salários) e como uma falta de compromisso com a educação naquele município, a categoria resolveu continuar de braços cruzados.

O diretor-executivo do SINTESE em Pacatuba, José Francisco Andrade dos Santos, informou que representantes dos professores tiveram o direito a falar por alguns minutos durante a sessão plenária da Câmara Municipal e mostrar toda a insatisfação dos professores com a situação que se agrava à cada dia. “Nós cobramos dos vereadores um posicionamento, pois até o momento não se manifestaram em prol dos professores e da população”, ressalta José Francisco.

Como até agora a categoria não recebeu qualquer resposta da Prefeitura quanto ao retorno dos salários, marcou uma nova assembléia para a próxima quarta-feira, 27, na tentativa de solucionar o problema que vem sendo minimizado mediante a continuidade da entrega de cestas básicas por parte da Secretaria de Estado da Inclusão Social- SEIDES.

Em assembléia lotada, o ar de revolta e angústia era visível no semblante de cada profissional do magistério naquele município. A categoria continua aguardando que o prefeito Luis Carlos Santos, respeite a decisão judicial e tenha mais compromisso com a educação e o povo de Pacatuba.