Professores pedem o bloqueio de contas da Prefeitura de Pacatuba

49

A categoria luta pelo retorno dos salários de maio e junho, cortados pela Prefeitura. Reunidos em assembléia na última quarta-feira, 27, os professores de Pacatuba decidiram dar continuidade à greve iniciada há mais de dois meses.

A categoria luta pelo retorno dos salários de maio e junho, cortados pela Prefeitura. O SINTESE entrou com uma ação na Justiça, e a decisão judicial foi para que o prefeito Luis Carlos Santos efetuasse o pagamento até o último dia 18 de agosto. Como a situação de descaso permanece, os educadores entraram através do Sindicato, com um pedido na ação existente, para que haja o bloqueio de contas da Prefeitura.

De acordo com o diretor da Base Executiva do SINTESE, José Francisco Andrade dos Santos, a decisão de continuidade do movimento grevista foi unânime por parte da categoria, que passa por sérias dificuldades minimizadas pela distribuição de cestas básicas através da Secretaria de Estado da Inclusão Social – SEIDES. “Na assembléia da última quarta-feira na Câmara Municipal de Pacatuba, os profissionais do magistério definiram ainda a realização de alguns atos públicos, com o intuito de esclarecer a população pacatubense, o descaso do prefeito Luis Carlos Santos com a educação no município”, afirma José Francisco.

Para ele, o mais grave disso tudo é que o prefeito está descumprindo um parecer judicial, que determinou a devolução dos salários de maio e junho à categoria. Como o prefeito Luis Carlos Santos, continua insensível à situação dos 69 professores prejudicados, eles deram entrada nesta quinta-feira,28, com um pedido na ação judicial, solicitando o bloqueio das contas da Prefeitura de Pacatuba.