Professores paralisam as atividades nesta terça-feira

47

O objetivo é pressionar governador e prefeitos para que enviem Projetos de Lei à Assembléia Legislativa e Câmaras de Vereadores criando o Piso salarial dos professores. Os profissionais do magistério público vão paralisar as atividades nesta terça-feira, 16, em todo o país em defesa da implantação imediata do Piso Salarial Profissional Nacional – PSPN, instituído através da Lei nº 11.738, sancionada em 16 de julho de 2008. No Estado de Sergipe, as mobilizações acontecem na capital e no interior.

Em Aracaju, o ato público será a partir das 8h no calçadão da Rua João Pessoa, em frente à Caixa Econômica Federal. O objetivo é pressionar governador e prefeitos para que enviem Projetos de Lei à Assembléia Legislativa e Câmaras de Vereadores criando o Piso salarial dos professores.

“O piso é lei, faça valer!”. Esse é o lema do Dia Nacional de Mobilização, que faz parte de uma campanha promovida até dezembro pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação(CNTE), em favor do Piso Salarial Profissional Nacional, no país. Os professores terão direito ao piso de R$ 950 mensais para a formação em nível médio, na modalidade normal, com vencimento básico a partir de 1º de janeiro de 2008. Incide sobre o piso, todas as vantagens, como regência de classe, mudança de letras, triênio, terço e titulação.

Para quem possui formação Superior, Pós-Graduação, Mestrado e Doutorado, cada Plano de Carreira, definirá o percentual de diferença de um nível para outro. A categoria espera dos governantes, o envio imediato da Lei do Piso à Assembléia Legislativa e às Câmaras de Vereadores, para que seja votada a lei alterando a tabela salarial com o novo piso definido nacionalmente e colocada em prática, o mais rápido possível.

E que sejam aprovados projetos criando Planos de Carreira, nos municípios em que ainda não existe o benefício.

De acordo com o diretor de Comunicação do SINTESE, Roberto Silva, o Piso Salarial Profissional Nacional, significa uma conquista histórica dos professores brasileiros. “A nossa luta é para que a lei sancionada em 16 de julho deste ano, instituindo o piso, seja cumprida pelo governador de Sergipe e pelos prefeitos de todos os 75 municípios sergipanos, para que os profissionais do magistério passem a ser mais valorizados”, enfatiza Roberto Silva.

No ato público desta terça-feira, os professores cobrarão ainda ao Governo do Estado, a promessa de envio à Assembléia Legislativa, do Projeto de Lei que dispõe sobre a Regulamentação da Gestão Democrática na Rede Estadual, feita durante a Campanha Salarial de 2008, mas que até agora não foi cumprida.