A carreira do professor em destaque

46

A dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, Jussara Dutra Vieira e o deputado federal Iran Barbosa foram os indutores do debate no segundo momento do dia com o tema “Os desafios e problemas da regulamentação da carreira dos profissionais do magistério”.

Jussara Dutra colocou que a o reconhecimento (e não somente valorização) do trabalho do profissional de Educação tem quatro carreira é um contraponto ao conceito de estado patrimonialista  e que ela não é só um direito do professor, mas sim da sociedade. Tocou também na importância da gestão democrática para a carreira do professor. “A carreira é um direito do profissional e está vinculada ao conceito de transparência e igualdade”, disse a dirigente da CNTE. Ela ressaltou também que é preciso que os trabalhadores devem repudiar as políticas públicas que buscam somente o controle do trabalho do professor e a retirada de direitos. Defendeu que os professores devem ter uma alternativa de avaliação do seu trabalho, mas que ela seja processual e envolva não somente o professor, mas as condições de trabalho e todo o sistema de ensino.

O deputado Iran Barbosa disse em sua fala que os professores precisam compreender a complexidade de suas carreiras, para que possam lutar contra qualquer política pública que venha a prejudicar o seu trabalho.

Ele colocou objetivamente que os principais problemas e desafios para a regulamentação da carreira do professor são: vencer a batalha pela constitucionalidade da Lei do Piso; Assegurar a prerrogativa constitucional da União para legislar sobre as questões gerais do ensino; Enfrentar a transitoriedade entre as antigas e as novas regras de carreira; Assegurar o tratamento paritário entre trabalhadores da ativa e aposentados; Definir a portabilidade do exercício da carreira (carreira unificada estadual e municipal); Superar o debate sobre a avaliação de mérito e a formação continuada; Retirar os limites da LRF para os recursos do FUNDEB. “Os companheiros devem refletir o quanto custou cada conquista e que devemos continuar a resistência”, disse Iran Barbosa.