Colégio de Aplicação implantará em 2009 novo sistema de ingresso

44

Em 2009 o sistema de ingresso de estudantes no Colégio de Aplicação da UFS (Codap) será modificado para aqueles que cursarão o ensino fundamental em 2010. O processo consistirá em um sorteio público das vagas, onde egressos de escolas públicas e particulares concorrerão em igualdade de condições.

A iniciativa é a mais recomendada pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Conselho Nacional de Diretores dos Colégios de Aplicação (Condcap). Atualmente a taxa de aprovação no exame de seleção é de quase 90% de estudantes de instituições privadas. Este foi o motivo de maior destaque para a mudança, cujas discussões envolveram, inclusive, os pais dos discentes. O último processo seletivo na modalidade atual ocorre no dia 14 de dezembro.

A diretora da unidade de ensino, Marlucy Gama, informa que a homogeneidade de alunos não poderia caracterizar o Codap como laboratório de educação básica para a universidade.

"O Codap é uma escola pública atípica, pois, diferente da maioria, somos financiados com recursos federais, assim como a universidade. Há uma expectativa quanto ao nosso papel, queremos corresponder aos objetivos para os quais esses colégios foram criados no país. Precisamos conviver com a diversidade aqui dentro para dar uma resposta à sociedade de como se pode mudar a realidade do ensino público brasileiro", ressalta.

Até a presente data, por exemplo, 200 universitários de diversas áreas de ensino da UFS já realizaram trabalhos com os estudantes.

De todas as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), segundo a diretora, 16 delas possuem Codaps. Apenas os da UFS e o da Federal de Pernambuco (UFPE) permaneciam com o sistema de seleção por provas, as demais já utilizam o sorteio e esses modelos deverão ser considerados na elaboração do que será utilizado em Sergipe.

"Será montada no início do próximo ano uma comissão que adequará o sorteio à nossa realidade. Queremos elaborar o sistema da melhor forma possível", informa Marlucy.

Cotas na UFS

A mudança no sistema de seleção do Codap coincidiu com a aprovação do Plano de Ações Afirmativas (Paaf) – que instituiu as cotas na universidade – no mês de outubro, no sentido de promover a inclusão social.

Segundo o documento, a UFS destinará 50% das vagas em 2010 para estudantes de escolas públicas. Desse percentual, 70% serão dedicadas aos que se declararem negros, pardos ou índios. Será garantida, também, uma vaga por curso aos portadores de necessidades especiais.

Histórico

O Colégio de Aplicação surgiu em 30 de junho de 1959, incorporado à Faculdade de Filosofia que originou a UFS. Após a inclusão do antigo 2º grau, em 1965, veio, em 1968, para as instalações da Cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campos, mas ocupava as salas das didáticas, juntamente com os universitários até 1994, quando ganhou a sede própria, onde atualmente funciona.

A instituição possui aproximadamente 500 alunos distribuídos entre o 6º ano do ensino fundamental e a 3ª série do ensino médio. Normalmente a seleção é feita apenas para aquela série, mas a depender da demanda de vagas, as outras podem abrir oportunidades ocasionalmente.

Nos último quatro anos o índice de aprovação em vestibulares saltou de 45,45% para 85,19%. Entre os projetos de extensão, com ações promovidas para a comunidade, destaca-se o curso pré-vestibular gratuito que atende a um público de 300 alunos no campus de São Cristóvão, no povoado Piabeta, em Nossa Senhora do Socorro, e na cidade de Riachuelo, além de Aracaju.

Luiz Amaro
Diógenes de Souza (estagiário)
comunica@ufs.br