Professores da rede estadual em estado de alerta

61

Os educadores da rede estadual decidiram em assembléia realizada nesta quinta, 11, no Instituto Histórico e Geográfico ficar em estado permanente de assembléia. Outra decisão é realizar na primeira semana do ano letivo de 2009 outra assembléia geral.

Os professores vão aguardar a chegada dos projetos de lei do piso e da regulamentação da gestão democrática na assembléia legislativa. “O magistério estadual está atento a qualquer movimentação sobre como o estado implantará o piso e também como o projeto da gestão democrática chegará a Assembléia Legislativa, a qualquer momento podemos reunir a categoria e deliberar ações de luta”, disse Joel Almeida, presidente do SINTESE.

Piso

Durante a assembléia a direção do SINTESE colocou que as discussões sobre o piso e a gestão democrática estão paradas. Apesar de o próprio governador ter anunciado em entrevistas que pagará o piso salarial, a categoria questiona como a lei será aplicada na rede estadual.

Existe a possibilidade de aplicar a lei do piso retirando direitos, como diminuindo o percentual da diferença salarial entre o nível médio e o nível superior. “O SINTESE não afirma que o governo fará esse tipo de ação, mas como desconhecemos a forma como o governo estadual está construindo o piso salarial, não sabemos o que pode acontecer”, disse o vice-presidente do SINTESE, Carlos Sérgio Lobão.

Gestão democrática

Sobre o projeto continua a polêmica de a SEED apresentar uma seleção antes da eleição e o SINTESE propor curso de formação aos candidatos. O sindicato vê o curso como forma de qualificar os professores em gestão escolar, inclusive aqueles que por ventura não forem eleitos possa contribuir também na administração da unidade de ensino. “Nós propomos que haja uma qualificação do futuro gestor escolar e não somente uma prova”, finalizou Joel.