Magistério estadual dá 3,6 a Educação pública

51

Os professores das redes estadual e municipais mostraram a sociedade os resultados da “Prova Final da Educação Pública” que avaliou a política educacional do governo Déda e de 73 prefeitos municipais.

Veja aqui a apuração completa das notas do Governo Déda

Veja aqui a apuração completa das notas dos Prefeitos

O governo do Estado ficou com média 3,6 na Educação. Somente dois décimos acima da nota dada pelos professores em 2007. A maior nota ficou com o município de Telha com 8,5 (1,6 acima da média do ano passado) e a menor média ficou o município de Aquidabã com 0,6. “A nota do governo do Estado não foi melhor pela péssima política educacional da Secretaria de Estado da Educação, que não tem projeto próprio, isso sem contar que as condições físicas das escolas não mudaram”, disse Joel Almeida, presidente do SINTESE.

Em comparação com as notas divulgadas em 2007 houve um ligeiro acréscimo nas notas. Para o sindicato esse aumento se deve a política de negociação salarial nos municípios e, no caso da rede estadual, a implantação da gratificação por interiorização e os ganhos da campanha salarial.

Sapatadas

A criatividade e a irreverência também marcaram presença no ato. O personagem deste ano foi o jornalista Mohammed Merenda, para interagir com o público e dar suas sapatadas numa tela onde estavam retratados temas como: baixos salários, desvalorização profissional, violência, corrupção e também a foto do presidente dos Estados Unidos George W. Bush.

O nome do personagem além de fazer alusão ao jornalista árabe, autor da sapatada original, foi também um alerta, pois o SINTESE não esqueceu o desvio das 123 toneladas de carne da merenda escolar denunciadas em 2006. “Trouxemos as sapatadas para o ato público para que tanto os professores quanto a população demonstrem a sua insatisfação”, disse o vice-presidente do SINTESE, Carlos Sérgio.

Apuração

Foram apurados aproximadamente cinco mil votos de professores de 407 escolas da rede estadual e cerca de 1600 unidades de ensino das redes municipais nos 73 municípios filiados ao SINTESE, Aracaju e General Maynard não participaram da “prova final” porque  no primeiro os professores são filiados ao Sindipema e no segundo o magistério não é filiado ao SINTESE.