Ministro diz que MEC vai ampliar fiscalização no ProUni

51

O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que o MEC vai ampliar a fiscalização sobre o Programa Universidade para Todos (ProUni). A decisão foi anunciada depois que um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou fraudes na avaliação dos critérios de acesso às bolsas do ProUni. Segundo o TCU, 0,6% dos estudantes cadastrados no programa recebem bolsa integral e têm automóveis e, em alguns casos, modelos de luxo.

Segundo ele, nas próximas semanas será assinado com o Ministério da Fazenda um convênio para que a Receita Federal faça um cruzamento de dados com os CPFs dos bolsistas e seus pais para saber se eles ainda estão enquadrados nos critérios de renda para acesso às bolsas.

O ministro disse que dos mais de 1.700 alunos inscritos no ProUni e que possuem um veículo, 41% deles têm uma motocicleta de baixa cilindrada e que em 95% dos casos os carros têm mais de cinco anos de uso. O TCU encontrou apenas 39 casos os alunos eram proprietários de carros de luxo.

“Desses 39 casos, dez alunos já foram desligados das instituições”, disse o ministro. Segundo ele, um dos objetivos do ProUni é que os alunos consigam melhores condições de vida. Porém, em casos em que há uma “mudança substancial das condições socioeconômicas” o MEC passará a avaliar caso a caso. (G1)