Prefeito de Estância aprova plano que retira mais direitos dos professores

51

A noite da última terça-feira, 26, foi trágica para o magistério de Estância. O prefeito Ivan Leite, numa manobra, aprovou mais mudanças no Plano de Carreira e Remuneração do Magistério de Estância e retirou mais direitos dos professores.

Pelo novo plano os professores da rede municipal não contam mais com regência de classe, ficando somente o vencimento inicial e os triênios. A jornada de trabalho também foi ampliada, de 62,5% para 66,66%, para que isso ocorresse, foi reduzida a hora de estudo e coordenação.

A lei complementar também concede uma gratificação de 100% através de Decreto Lei e por merecimento. Para a coordenação do SINTESE essa gratificação será usada para a conveniência do administrador municipal, servindo de barganha para apadrinhados.

Às pressas

O SINTESE avalia como muito grave a forma como o projeto foi votado. Desconsiderando totalmente o regimento interno da Câmara de Vereadores o projeto de lei foi recebido e votado na terça-feira, 26. A bancada do prefeito votou o projeto sem ao menos conhecê-lo com propriedade.

Os vereadores de oposição tentaram ponderar com os demais parlamentares para que o projeto fosse discutido, inclusive o vereador Dominguinhos (PT) elaborou dez emendas, mas não houve abertura para diálogo e todas foram rejeitadas.

Reação

Quando souberam da votação, a coordenação do SINTESE conseguiu mobilizar professores e alunos que lotaram as dependências da Câmara de Vereadores, mas apesar do constrangimento que passaram, os sete vereadores que apóiam o prefeito foram vaiados, o projeto passou. “Queremos ressaltar o trabalho dos vereadores Dominguinhos e Artur do Partido dos Trabalhadores e Dr. Cristóvão Freire (PSB), mas mais uma vez o prefeito Ivan Leite humilha os professores e não contribui para uma educação de qualidade”.