Brasil defende participação do trabalhador nas negociações mundiais

57

“Os trabalhadores não podem pagar sozinhos pela crise mundial.” A declaração foi dada pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, nesta segunda-feira (16), em Genebra, na Suíça, onde participou de cúpula na 98ª Conferência Internacional do Trabalho, que tem como tema central a crise mundial do emprego.

 

Lula assinou, ao lado do diretor geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Juan Somavia, declaração conjunta em que o Brasil reafirma o compromisso de apoiar a Agenda do Trabalho Decente. “O que precisamos debater é não permitir que os trabalhadores sejam vítimas da crise ou que apenas eles paguem pela crise. Temos que estar mais preocupados em garantir emprego para o povo, que é isso que conta no crescimento da economia”, afirmou o presidente. Em discurso, ele defendeu a geração e a distribuição de renda como medidas para frear os efeitos da crise e disse que o mundo precisa de novas alternativas para reduzir os reflexos da instabilidade econômica.

 

O documento assinado destaca os avanços do governo na Agenda defendida pela OIT. Um dos pontos citados é a geração de empregos formais no País nos últimos seis anos – que chegou a dez milhões. Outro ponto de destaque do documento faz referência ao grupo móvel de combate ao trabalho escravo do Ministério do Trabalho e Emprego, que, nos últimos anos, resgatou mais de 33 mil trabalhadores em situação análoga à de escravo. Juan Somavia elogiou a atuação do governo brasileiro com relação à crise internacional e afirmou que as rápidas ações fizeram com que o Brasil fosse um dos últimos países a sentir os efeitos e o primeiro a mostrar sinais de recuperação.

 

Na opinião do diretor da OIT, os esforços do governo brasileiro para colocar a geração de emprego e a qualificação profissional no centro das políticas econômicas são acertados porque ampliam os investimentos públicos e mantêm o mercado interno aquecido. Conferência – A 98ª Conferência Internacional do Trabalho está sendo realizada com a participação de chefes de Estado e governo de todo o mundo. Acompanharam o presidente Lula os ministros do Trabalho, Carlos Lupi, e o da Previdência Social, José Pimentel. Além de participar da Conferência, o presidente Lula discursou no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), se encontrou com sindicalistas e almoçou com o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

 

De Genebra, o presidente seguiu para Ekaterimburgo, na Rússia, onde participa, nesta terça-feira (16) da Cúpula dos Brics, ao lado de líderes da Rússia, Índia e China. fonte: Brasil.gov