Brasil volta a crescer

69

Depois de dois trimestres de queda na atividade econômica, o Brasil voltou a crescer nos últimos dois meses e meio, deixando para trás a recessão. Os bancos e economistas já preveem expansão de 0,5% a 2,8% do Produto Interno Bruto entre abril e junho, depois de uma queda acumulada de 4,4% entre outubro e março. Setores industriais como naval, construção civil, eletrodomésticos e automóveis dão sinais de recuperação.

BRICs se recuperam antes. Os países emergentes que formam os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) aparecem com destaque na última edição da revista “Economist”. Em um longo artigo, a revista diz que esses países já demonstram sinais de recuperação econômica, enquanto os países ricos permanecem em recessão. “Quase 60% de todo o crescimento econômico mundial entre 2000 e 2008 ocorreu nos países em desenvolvimento; metade só nos países do BRIC”, afirma a “Economist”. Mas diz que a recuperação da China, Índia e Brasil não pode compensar o estado medonho do resto da economia mundial. “Enquanto os três gigantes se recuperam, os países em desenvolvimento, como um todo, são vistos em recessão. Os gigantes parecem estar se descolando não apenas do Ocidente, mas também de seus irmãos emergentes menores.”

Em São Paulo, pelo controle estatal do petróleo. Mais de três mil pessoas saíram às ruas da cidade de São Paulo para pedir um novo marco regulatório para a produção energética do país e uma Petrobras totalmente estatal. O ato aconteceu na sexta-feira (19), como parte de um calendário nacional de mobilização. Sindicatos, organizações e movimentos sociais alertam para a importância do controle brasileiro do petróleo. O coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Antônio de Moraes, diz que a exploração do petróleo deve visar uma melhoria para a sociedade brasileira, e não garantir interesses privados: “Nós propomos uma Petrobras 100% pública, com controle social, para explorar todo petróleo e gás do Brasil. A utilização dos recursos oriundos da renda petrolífera deve ir para as questões sócias – saúde, educação, reforma agrária.”

Vale nega denúncia de demissões em massa. A Vale negou nesta sexta-feira (19) que esteja realizando demissões em massa em suas unidades do Pará e de Minas Gerais. A mineradora garantiu que não têm fundamento as denúncias feitas pelo Sindicato Metabase de Itabira e Região, entidade da categoria em Minas Gerais, de que teriam sido demitidos ao todo 500 empregados. O sindicato denunciou nesta sexta-feira que 100 empregados foram demitidos em Itabira nas duas últimas semanas e que o total pode chegar a 250. Já em Carajás, no Pará, o número de demissões chegaria a 200, acompanhadas por 200 dispensas nas minas da antiga Minerações Brasileiras Reunidas (MBR). O corte de 300 trabalhadores aposentados ou perto de se aposentar foi o terceiro realizado pela Vale desde o início da crise econômica global.

Jovens estão preocupados com o trabalho! Pesquisa realizada pelo Ibase e pelo Instituto Pólis mostra que a juventude sulamericana está mais preocupada com trabalho do que com educação. A maioria dos entrevistados no Brasil considera que o mais importante para os jovens é “ter mais oportunidades de trabalho” (61%) opinião partilhada igualmente por jovens e adultos. Mais de 70% discordam da afirmação “os jovens devem apenas estudar e não trabalhar”. Como a juventude é vista nos diferentes países da América do Sul? Como se posicionam jovens e adultos sulamericanos sobre temas morais, éticos e políticos? Quais as principais demandas e problemas dos jovens na região? Estas e outras perguntas guiaram a pesquisa “Juventude e Integração Sulamericana: diálogos para construir a democracia regional”, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase) e pelo Instituto Pólis, e que ouviu, em seis países – Brasil, Argentina, Chile, Uruguai, Bolívia e Paraguai – 14 mil pessoas no segundo semestre de 2008. O estudo é o primeiro a comparar gerações na América do Sul (50% dos entrevistados foram jovens de 18 a 29 anos e 50% adultos de 30 a 60 anos). Para ver a pesquisa, http://www.ibase.br/

Contra a MP da Grilagem. Mais de 300 organizações que compõem o Fórum da Amazônia Oriental (FAOR) entregaram na sexta-feira (19) uma carta ao Lula pedindo o veto de artigos da medida provisória 458 (MP 458/09). Aprovada pelo Senado no último dia 3, na forma de Projeto de Lei de Conversão 09 (PLV 09/2009), a medida permite à União doar ou vender, sem licitação, terrenos de até 1.500 hectares na Amazônia Legal. Composto por entidades do Pará, Amapá, Tocantins e Maranhão, o FAOR avalia que, da maneira como foi aprovada pela Câmara de Deputados e, em seguida, pelo Senado Federal, a MP 458 vai oficializar a grilagem de terras públicas na Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins e parte do Maranhão). Ao todo, a União poderá legalizar 67,4 milhões de hectares, o que poderá, segundo as entidades, ”afetar as populações tradicionais, indígenas e quilombolas da região e intensificar a violência e o desmatamento na Amazônia”. (Matéria em Adital)

Coronel do Massacre de Carajás será julgado. Em abril de 1996, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) marchavam pelo interior do Pará reivindicando reforma agrária. No dia 17 eles realizaram uma manifestação na rodovia PA-150, no município de Carajás, sul do estado. A Polícia Militar foi ao local com um efetivo de 155 homens e promoveu uma das ações mais violentas da história recente da luta pela terra, resultando em 19 agricultores mortos e centenas de mutilados e feridos. Treze anos depois, 144 policiais foram incriminados e julgados, mas apenas dois comandantes foram condenados: o coronel Pantoja e o major José Maria Pereira de Oliveira, condenados a 154 anos. Ambos recorreram da sentença e estão em liberdade. Na próxima terça-feira (23) será julgado o recurso do coronel Pantoja e mobilizações pela manutenção da pena estão sendo programadas em várias cidades brasileiras.

Líder camponês assassinado. O líder camponês Luiz Lopes Barros foi encontrado morto na última segunda-feira (15), no município de Conceição do Araguaia, com tiros à queima-roupa. Desaparecido desde o dia 12, Luiz coordenava a Liga de Camponeses Pobres do Pará-Tocantins (LCP-PA/TO) e era uma das lideranças mais conhecidas do movimento camponês do estado. Ele desapareceu no dia 12 quando se dirigia a uma reunião da categoria. No dia anterior, um pistoleiro foi à casa de uma ativista da LCP e ameaçou a ela e a Luiz. “Vocês ganharam um prêmio e vocês vão receber ele essa semana”, teria dito o pistoleiro, conhecido por trabalhar para o latifundiário José Hernandez. Luiz era a principal testemunha de acusação contra Hernandez, acusado de ser o mandante do assassinato de outro camponês, De Assis, liderança do assentamento Nazaré.

Plantio de Eucaliptos foi um desastre ambiental. Minas Gerais iniciou o plantio de eucaliptos há mais de 30 anos. Na época, a ditadura militar concedeu incentivos fiscais e terras públicas para que empresas se instalassem no estado. O eucalipto era destinado à produção de celulose e de carvão vegetal para siderurgia. Hoje, a população local sofre com a seca, com a perda de terras e dos empregos. No município de Turmalino, mais de 12 mil famílias foram atingidas e ficaram sem a terra. Elas ajudaram no plantio de eucalipto, tiveram um emprego rápido por um salário mínimo na hora do plantio de eucalipto. Depois que o eucalipto cresceu, ficaram sem a terra e sem o emprego. Hoje estão completamente abandonadas sem condições de sobrevivência. As maiores beneficiadas são empresas japonesas e alemãs que atuam na região e que são privilegiadas também pela ação do estado. (Fonte: Agência Chasque de Notícias)

Ex-ministro da agricultura usava trabalho escravo. Antonio Cabrera foi ministro da Agricultura do governo Collor. Em abril deste ano, fiscais encontraram 184 trabalhadores escravos na sua fazenda de cana em Limeira do Oeste (MG). Mas o safado procurou “jornalistas” amigos, dessa imprensa aí (que conhecemos bem) para tentar se justificar. Segundo o “coronel” Cabrera, os fiscais do Ministério Público do Trabalho e da Polícia Federal agiram “de forma truculenta, arbitrária e ideológica”. Ele jurou, em entrevista concedida à “Repórter Brasil”, que a libertação de 184 trabalhadores da sua Fazenda Bela Vista, em Limeira do Oeste (MG), no Triângulo Mineiro, no último mês de abril, foi “propaganda enganosa e mentirosa”. Antonio Cabrera diz que não vê irregularidades em seus investimentos em um projeto sucroalcooleiro (Cabrera Central Energética Açúcar e Álcool), em parceria com a norte-americana Archer Daniels Midland (ADM). E afirmou que os 46 autos de infração aplicados pelos fiscais da Superintendência Regional de Trabalho e Emprego de Minas Gerais (SRTE/MG) não passam de “uma questão de interpretação”. “A legislação, às vezes, é vaga, subjetiva. Fica a critério de algum auditor interpretar a lei da maneira que ele acha que deve ser interpretada”, complementa.

FSM também protesta sobre acontecimentos no Peru. O Secretário Geral Adjunto da Federação Sindical Mundial (FSM) também registrou seu protesto contra o massacre de indígenas no Peru. Discursando em Genebra, Valentín Pacho, destacou a preocupação da OIT com os acontecimentos recentes no Peru e denunciou que o governo do corrupto Alan García vem descumprindo a Convenção 169 (sobre os direitos dos povos indígenas e tribais) e disse que os recentes acontecimentos representam uma política de genocídio contra os povos da Amazônia peruana. E encerrou seu discurso dizendo que “Para crimes de lesa-humanidade não pode haver esquecimento nem perdão!”

Capacho do capacho é embaixador no Brasil. A justiça colombiana está investigando o atual embaixador do país no Brasil, Tony Jozame, por suspeita de corrupção durante a tramitação da reforma constitucional que garantiu o direito do capacho Alvaro Uribe ser reeleito em 2006. Há duas semanas, a Corte de Justiça condenou outros dois ex-congressistas, Teodolindo Avendaño e Iván Díaz, por aceitarem suborno do governo a favor da emenda. Enquanto isto, o capacho já conseguiu uma nova emenda garantindo sua condição para disputar um terceiro mandato! Este é o governo apoiado pelos EUA e apontado como líder dos “direitos humanos”.

CUT-Colômbia: vice-presidente sofre ameaças. A Central Unitária dos Trabalhadores da Colômbia divulgou nota de protesto e denuncia que seu vice-presidente, Rafael Alberto Molano, está recebendo novas ameaças. A nota exige que o governo apure os fatos e denuncia que 101 dirigentes sindicais estão sendo

Mais de um bilhão de famintos. “Pela primeira vez na história da humanidade, mais de 1 bilhão de pessoas, concretamente 1,02 bilhão, sofrerão de subnutrição em todo o mundo”, adverte a FAO em um relatório sobre a segurança alimentar mundial. “O número supera em quase 100 milhões o do ano passado e equivale a uma sexta parte aproximadamente da população mundial”, destaca a agência. Segundo as estimativas da FAO, “a maioria das pessoas subnutridas vive em países em desenvolvimento”. Cerca de 53 milhões de pessoas vão sofrer com a fome neste ano na América Latina e Caribe. O número chega a 642 milhões na Ásia-Pacífico, 265 milhões na África Subsaariana, 42 milhões no Oriente Médio e África do Norte e 15 milhões nos países em desenvolvimento. O número de subnutridos no mundo passou de 825 milhões no biênio 1995-1997 para 873 milhões de 2004 a 2006.

OIT preocupada com “onda de desemprego”. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) pediu, nesta segunda-feira (15), que os governos não demorem muito para adotar medidas em favor do emprego. “O mundo não pode deixar a criação de empregos para depois da recuperação econômica”, declarou o diretor do secretariado da OIT, Juan Somavia. De acordo com a organização, a crise do desemprego pode durar de quatro a cinco anos a mais que a crise econômica. Segundo as previsões, haverá 59 milhões de desempregados a mais no fim deste ano em relação ao fim de 2007. Em suas previsões mais sombrias, baseadas na contração da economia mundial de 1,3% prevista pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), o escritório da OIT aposta num número recorde de desempregados este ano, de 210 a 239 milhões de pessoas em todo o planeta, ou seja, uma taxa de desemprego mundial de 6,8% a 7,4%.

Emprego na zona do euro. A zona do euro perdeu um número recorde de 1,22 milhão de empregos no primeiro trimestre do ano, informou a agência de estatísticas Eurostat. O número de empregados caiu 0,8 por cento no período contra os três meses imediatamente anteriores, para 146,2 milhões de pessoas. Em relação ao primeiro trimestre de 2008, o emprego recuou 1,2 por cento, também a maior queda do início da pesquisa em 1995.

Revoltante! A empresa aérea British Airwairs (terceira maior da Europa e privatizada em 1987) pediu para seus funcionários que trabalhem de graça. Esta é a mais recente “moda” que as empresas inventaram para enfrentar a crise econômica que elas criaram. Salários de US$ 1, congelamento do contracheque e redução do pagamento são algumas das alternativas que afetam diretamente os funcionários e vêm sendo adotadas desde o agravamento da crise, em setembro do ano passado. E, sem qualquer escrúpulo, anunciam essas medidas como necessárias para evitar um número ainda mais elevado de demissões. O congelamento de salários virou moda e foi uma estratégia adotada de forma mais ampla. A Sony, a Intel, a Philips e a BBC estão entre as companhias que recorreram à suspensão de reajustes. Quando tudo ia bem não falavam em aumentar os salários ou direitos, agora cortam para sair da crise que criaram.

Desemprego no Reino Unido sobe 7,2%. O índice de desemprego na Reino Unido aumentou 7,2% entre fevereiro e abril, com 2,26 milhões de desempregados, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (17) pelo ONS (Escritório Nacional de Estatísticas, na sigla em inglês). “O desemprego subiu 7,2% nos três meses até abril de 2009, com um aumento de 0,7 ponto percentual na comparação com o trimestre anterior e 1,9 ponto a mais que no mesmo período do ano anterior”, informa o escritório. E completa: “A quantidade de desempregados aumentou em 232 mil pessoas no trimestre e em 605 mil em um ano, para ficar em 2,26 milhões”. Tanto a taxa de desemprego como a quantidade de desempregados no Reino Unido registram os maiores níveis desde 1997.

Total demite 900 grevistas no Reino Unido. A companhia petrolífera francesa Total demitiu quase 900 trabalhadores de sua usina de Lindsey (norte da Inglaterra) que desde a semana passada participavam de greves não oficiais para protestar contra demissões. Em comunicado, a empresa se declarou “decepcionada” porque seus funcionários, que iniciaram a greve em 11 de junho, se negaram a voltar a seus postos. De acordo com a companhia petrolífera, em caso de greves não autorizadas (que não seguiram o procedimento legal de votações e avisos prévios) só podem iniciar as negociações depois dos trabalhadores voltarem ao trabalho. Apesar das demissões, os demais trabalhadores mantiveram a greve.

Empregos de curta duração. Esta é a nova “praga” constatada na Espanha. Cerca de cinco milhões de contratos de trabalho duram menos do que trinta dias! Isto mesmo… Contratos de curta duração. Cerca de 2,7 milhões de contratos duram menos de uma semana (curtíssima duração). Os dados constam do estudo de Luis Toharia, catedrático de Fundamentos da Análise Econômica e um dos maiores especialistas em mercado de trabalho da Espanha. Ele apresentou seu estudo na “Fundación Alternativas” e demonstrou que as empresas estão apostando nos contratos curtos como alternativa para a crise. Assim, pagam menos salários e não ficam submetidos à legislação trabalhista.

“Convidadas” receberam para ir à festa do mafioso! Silvio Berlusconi (primeiro-ministro mafioso ou primeiro mafioso ministro?…) está novamente enrascado com a tal “festinha íntima” para alguns convidados. O jornal El Periódico conseguiu informações sobre o depoimento de algumas mulheres que participaram da tal “festa”, supostamente como convidadas, e uma entregou aos investigadores uma gravação mostrando que receberam 2.000 euros para participar. O fiscal Bari Pino Scelsi trancou em um cofre o vídeo e cinco fitas comprovando que prostitutas costumam ser contratadas para as festas do mafioso. Segundo os depoimentos, isto já é comum…

Fascismo de volta às ruas! A extrema-direita italiana mostra sua face abertamente. “Patrulhas” fardadas, formadas por membros de agrupamentos de direita, resolveram “salvar a integridade nacional” e circulam livremente em Milão e outras cidades italianas. Primeiro foi a “Liga do Norte”, já conhecida por sua violência contra imigrantes, e agora é o racista “Movimento Social Italiano – Direita Nacional”. Usam uniformes próprios e se intitulam “Guarda Nacional Italiana”, dizendo colaborar com as autoridades do país e defender a Lei de Segurança. Segundo o jornal “Corriere della Sera”, usam camisa caqui, boina preta com uma água imperial romana e calças cinza. E se apresentaram oficialmente em uma solenidade em Milão, dizendo que são cerca de 2.000 em toda a Itália.

Ainda sobre o tráfico infantil para “fins sexuais”. Considerada pela ONU como a terceira atividade ilícita mais lucrativa do mundo, a exploração sexual é ainda mais grave quando realizada contra crianças e adolescentes. A situação se agrava mais com o tráfico para fins sexuais, que tem sido associado a cidades com certos perfis: cidades fronteiriças, com alta densidade populacional, com mobilidade humana de homens imigrantes e cidades de trânsito de emigrantes. Algumas das causas que dão origem à exploração sexual comercial infantil são a existência e o crescimento das redes do crime organizado; a violência familiar, as situações de exclusão social e a insuficiência de ações legais, de controle e de atenção ao problema, entre outros fatores. O tráfico de pessoas arrecada anualmente cerca de 32 bilhões de dólares. Em 2005, calculava-se que, no âmbito mundial, 2,4 milhões de vítimas de tráfico de pessoas estiveram trabalhando em condições de exploração. Em todo o mundo, cerca de quatro milhões de mulheres e meninas são vendidas a cada ano para serem submetidas à escravidão e à prostituição.    

Denúncia contra a Unilever. A União Internacional dos Trabalhadores em Alimentação, Hotéis, Restaurantes e Afins está denunciando as ações da gigante Unilever no Paquistão. O documento relata a ação da empresa em várias de suas fábricas, em especial a fábrica de chás Lipton e Brooke Bond, onde não concede os direitos mínimos aos trabalhadores. A nota encerra dizendo que a Unilever está fabricando pobreza, humilhação e permanente insegurança.

Uma bomba prestes a explodir! O não-pagamento dos cartões de crédito nos Estados Unidos atingiu um nível recorde em maio. O Bank of America (maior banco dos EUA) afirmou que sua taxa de calote, ou seja, o número de empréstimos sobre os quais a empresa não espera ser paga, saltaram de 10,47 por cento em abril para 12,5 por cento em maio. A American Express, que contabiliza quase um quarto do volume de vendas em cartão de crédito e débito nos Estados Unidos, afirmou que sua taxa de calotes aumentou de 9,9 por cento para 10,4 por cento. O Citigroup (maior emissor dos cartões de crédito da marca MasterCard) relatou que a inadimplência em cartão de crédito aumentou de 10,21 por cento em abril para 10,5 por cento em maio. As perdas no mercado de cartões de crédito geralmente seguem as tendências nos níveis de desemprego, que subiu para seu maior nível em 26 anos!

Mais uma de Obama! Eleito depois de uma grande e milionária campanha de imprensa, falando de “democracia e mudanças”, Obama segue os passos de Bush e mostra que nada mudou. O governo estadunidense já havia mostrado sua verdadeira face quando boicotou o encontro da ONU sobre o racismo. Na última semana, os EUA bloquearam as negociações da ONU sobre o aquecimento do planeta! A denúncia foi feita por membros da organização ambientalista “Amigos da Terra” que acompanhavam o encontro em Bonn (Alemanha). A reunião preparatória para o próximo encontro mundial sobre o clima, em dezembro, contou com a participação de 4.600 pessoas, entre representantes de países, empresas e organizações ambientais. Mas o representante dos EUA, falando em nome do governo Obama, continua defendendo uma “redução zero” nas emissões de gases, até 2020! Ou seja, recusa-se a iniciar um programa de reduzir suas emissões!

A “justiça” de Obama. A Corte Suprema de Justiça dos Estados Unidos recusou, na segunda-feira (15), considerar o caso de cinco cidadãos cubanos presos injustamente há mais dez anos em prisões estadunidenses. A defesa dos “Cinco”, como são conhecidos internacionalmente, solicitou à principal corte dos EUA que considerasse a resolução judicial, alegando que não foram submetidos a um julgamento justo. Mas, a Corte Suprema não acatou o pedido de analisar a situação de Fernando González, René González, Gerardo Hernández, Ramón Labañino e Antonio Guerrero. Os Cinco foram condenados em 2001 por um tribunal de Miami.

Governo Obama: mais para a guerra! Sem surpresas, o governo Obama encaminhou sua nova proposta de orçamento para o Congresso. Sabem aquele ditado “nem oito, nem oitenta”? Ele não vale para a administração Obama que acaba de pedir 80 bilhões de dólares a mais para as guerras no Iraque e Afeganistão, e 8 bilhões como “aporte” ao FMI para ajudar na crise!

Popularidade de Obama em queda. A popularidade do presidente estadunidense registrou uma queda, talvez como resultado do crescimento do desemprego e do déficit do orçamento, revelou uma pesquisa divulgada nesta semana pela cadeia de televisão NBC e pelo Wall Street Journal. Segundo a pesquisa, o governo Obama tem agora 56% de aprovação, uma queda de cinco pontos em comparação ao mês anterior (maio).

Líder religioso diz que “o povo escolheu quem queria”. O aiatolá Ali Khamenei, em sermão diante de algumas dezenas de milhares de pessoas na Universidade de Teerã, respaldou a vitória de Mahmud Ahmadinejad. Ele disse que “o povo elegeu quem queria” e destacou o fato de 85% da população ter participado das eleições, encerrando o discurso com uma denúncia de que “nações ocidentais” tentam desestabilizar o país ao duvidarem da legitimidade da vitória de Ahmadinejad.

A propaganda estadunidense. Você já viu nossa imprensa gastar páginas de jornais para uma eleição no Japão, ou na Inglaterra, ou na França, etc? Você já viu nossos jornais gastarem tanto tempo falando das fraudes eleitorais de Bush? Vocês já viram nossos jornais passarem tanto tempo falando do golpe que o capacho Uribe deu no Congresso colombiano? Certamente não viram nada disso, mas já devem estar cansados dessa propaganda contra as eleições no Iran! A máquina de propaganda da CIA está gastando rios de dinheiro, com “jornalistas” amestrados, para manobrar a opinião pública e tentar deslegitimar o governo iraniano eleito, porque não era o candidato apoiado pelo governo estadunidense. Mas nenhum jornal divulgou a pesquisa realizada por Ken Ballen (do Centro de Opinião Pública) e Patrick Doherty (da Fundação New America), ambos institutos estadunidenses. A pesquisa foi financiada pelo Rockefeller Brothers Fund e divulgada uma semana antes das eleições iranianas. E demonstra claramente a vontade do povo: a pesquisa, segundo a ABC News e a BBC, diz que Ahmadineyad ganharia com uma margem de 2 a 1! Ou seja, o resultado das urnas não deveria ser surpresa, mas estão montando uma farsa para justificar o golpel contra o Iran. Certamente, a CIA está gastando rios de dinheiro para montar os tais “protestos” que a imprensa não cansa de fotografar.

Por outro lado… Enquanto a CIA gasta uma fábula com a “imprensa amestrada” para dizer que as eleições no Iran foram fraudadas, levantando a velha e surrada bandeira de “defesa da democracia”, o governo Obama acaba de declarar que não vai permitir e, se acontecer, não vai acatar o referendo sobre a retirada das tropas estadunidenses do Iraque! Pois é. O acordo assinado entre os governos (EUA e Iraque) no ano passado garantia a realização de um plebiscito, em julho próximo, para definir se as tropas estadunidenses permanecem no país até 2011. Agora, parlamentares iraquianos financiados pela CIA já falam em uma medida para suspender o plebiscito e o governo de Washington já disse que não pretende acatar, se o resultado apontar para uma retirada imediata das tropas. Como diz o ditado: “pimenta no … dos outros é refresco”.

EUA: alarme contra o racismo! Um estudo divulgado nesta semana pela Conferência para Educação sobre Direitos Civis, nos EUA, alertou para o avanço de grupos da “supremacia branca” e seus crimes contra as minorias nos Estados Unidos. Os dados, segundo a Agência Efe, indicam que o número desses grupos cresceu 54%, desde 2.000. Em 2008, foram identificados 926 grupos de militantes com políticas de “ódio contra minorias raciais”. Atualmente, segundo o estudo, utilizam a internet como principal meio para recrutar novos membros.