Professores discutem papel da mídia na escola

58

Vislumbrando o grande papel que os veículos de comunicação têm na relação ensino-aprendizagem o SINTESE oferece na edição 2009 das Oficinas Pedagógicas da Resistência um espaço para os professores debaterem o papel da grande mídia na escola.

O jornalista Cristian Góes será o ministrante da oficina “Leitura crítica da mídia e o papel do (a) professor (a) na escola”, que acontece de 01 a 03 de julho no auditório do Cinform. Cristian é jornalista profissional com especialização em Gestão Pública (Esaf/FGV) e especialização em Gestão de Crise em Comunicação (Gama Filho); estudante de Letras da UFS.

Na oficina os professores vão estudar de forma crítica a produção de notícias pela grande mídia e sua interferência na vida pessoal e profissional do professor. “Vamos debater a formação dos consensos na sociedade: como isso afeta o professor e o aluno. Compreender o modo e o porquê da atuação da mídia na escola e na sociedade. E debater quais papéis podem ter os professores diante a produção midiática em sua volta”, disse Cristian.

Esse estudo será feito através da leitura de textos, exposição visual, exibição de filmes e músicas, debate, trabalhos em grupo sobre leitura crítica da mídia e apresentações desses trabalhos. Os participantes vão estudar também um pouco sobre a introdução à história da Comunicação e do Jornalismo; a construção da hegemonia a partir da mídia; de que lado está a mídia; infância e consumo; a escola como reprodutora e reforçadora da opinião pública.

Para o jornalista, as Oficinas Pedagógicas da Resistência fazem parte de um momento muito especial na vida dos educadores, que é a formação continuada com qualidade. “O SINTESE, com realização dessas atividades, prova que está profundamente antenado com a nova realidade da educação, isto é, com uma teia infinita de possibilidades de aprendizagem que não mais circunda o ambiente escolar, muito pelo contrário, estabelece-se na sociedade e isso gera enormes desafios para todos, especialmente aos educadores”, finalizou.