Veja o Perfil das Escolas Públicas de Pacatuba, Brejo Grande e Ilha das Flores

102

O SINTESE encaminhou para a Promotoria de Justiça da Comarca de Pacatuba um relatório com as constatações da visita feita às escolas estaduais de Pacatuba, Ilha das Flores e Brejo Grande, retratando o estado crítico vivenciado diariamente pro alunos e professores nesses municípios.

Veja abaixo parte do relatório e baixe o perfil fotográfico dessa triste realidade.

Perfil Pacatuba

1. Colégio Estadual Leandro Maciel, Pacatuba/SE: Os serviços para a implantação do laboratório de informática foram concluídos e o mesmo encontra-se funcionando. O espaço físico da escola é insuficiente para atender a quantidade de alunos matriculados, tendo a Secretaria de Estado da Educação improvisado salas de aula através do aluguel de residências e da ocupação de algumas salas da Escola Municipal João Machado Rollemberg. Essa Escola necessita urgente de um projeto de ampliação. As paredes estão sujas e com a pintura estragada. A escola não tem arborização, área de lazer e nem para a prática de atividades esportivas. O matagal toma conta de parte do terreno. No fundo do prédio são amontoados móveis e carteiras quebradas. A cozinha possui uma infraestrutura inadequada e é muito pequena. O depósito, onde estão armazenados os gêneros da alimentação escolar, está cheio de infiltrações e mofo nas paredes. O telhado tem goteiras, infiltrações e está cheio de ninhos de pardais.

1.2 Quanto as Escolas Estaduais Nossa Senhora Santana e Padre Nestor Mathieu,no município de Pacatuba, ambas localizadas na Comunidade de Santana dos Frades, não foram visitadas em decorrência das chuvas e o lamaçal que impediram o acesso ao local. Informações prestadas por professores, representantes do Sindicato nessa municipalidade dão contas que os prédios dessas unidades escolares estão dilapidados, apresentando um quadro de total abandono, que não foi feita nenhuma reforma por parte da SEED.

 

Perfil Ilha das Flores

2. Escola Estadual Manoel Antônio Pereira, Ilha das Flores/SE: Esse estabelecimento de ensino não possui nenhuma área de lazer e nem para a prática de atividades desportivas. A SEED precisa apresentar um projeto de ampliação, inclusive com a desapropriação de imóveis. A precariedade das instalações é tão gritante que funciona numa única sala a secretaria da escola, a direção, um amontoado de livros velhos didáticos e a sala dos professores; inclusive por falta de armários e estantes parte do material didático e a documentação dos alunos encontra-se no chão. O prédio necessita de pintura e tapagem de buracos no reboco de algumas paredes. O terreno lateral é ocioso e poderia ser feito um trabalho de arborização e de horta escolar.

2.2 Escola Estadual Jessé Trindade, Ilha das Flores/SE: O laboratório de informática não funciona porque a Secretaria de estado da Educação não fez a instalação elétrica. Apesar de a SEED ter informado ao Ministério Público que realizaria serviços de manutenção em julho de 2009, até a presente data não foi feito nenhum serviço de retelhamento e nem de revisão das instalações elétricas e hidráulicas. Nesse tempo chuvoso as pingueiras, molhação por toda parte e os vazamentos provocam inúmeros transtornos para estudantes, professores e funcionários. As instalações dos sanitários estão péssimas e necessitam de manutenção urgentemente. Na entrada principal ainda existem as ruínas da quadra de esporte, cuja construção a SEED iniciou em 1998 e posteriormente a obra foi abandonada. O grande terreno existente na entrada pode ser utilizado para ampliação, construção da quadra de esportes, hortas escolas e arborização. As carteiras escolares e cadeiras são amontoadas nos cantos e algumas jogadas no fundo do prédio. A falta de manutenção já está deixando exposta a ferragem de sustentação das colunas e dos alicerceis. As calçadas do pátio interno necessitam de reforma. Nas salas de aula as paredes estão com infiltração, muita umidade e pintura estragada. O matagal toma conta do terreno da lateral esquerda.

2.3 O lamaçal e os atoleiros da estrada inviabilizaram o acesso a Escola estadual Professor Antônio Cruz, situada no Povoado Serrão, em Ilha das Flores/SE.

3.
Perfil Brejo Grande

Colégio Estadual Dr. Luiz Garcia, Brejo Grande/SE: A SEED fez recentemente serviços de manutenção, porém não foi de qualidade e tudo já está estragado. No telhado foram misturados telhas velhas com novas, com as chuvas recentes as mais antigas já quebraram. A escola está cheia de goteiras e os professores dão aula com as salas cheias de água. As carteiras velhas e quebradas estão amontoadas no fundo do pátio, sendo que o mato do terreno baldio vizinho já está tomando o muro da escola. A quadra de esportes está totalmente destruída, parte está com afundamentos, o piso é liso e escorregadio, constantemente crianças e adolescentes são acidentados, além de não possuir cobertura. O muro feito recentemente já caiu um pedaço. Pelo fato da pia da cozinha ser pequena, o que impede a lavagem dos utensílios utilizados na alimentação escolar, faz com que panelas e pratos sejam lavados ao ar livre, numa velha lavanderia de concreto, sem nenhuma higiene. A instalaçãoelétrica está estragada e totalmente comprometida. As ripas do telhadas estão podres, cuja conseqüência é o risco iminente de acidentes. As paredes estão sujas, com infiltrações e cheias de mofo. Os armários e arquivos de aço que não estão sendo utilizados foram colocados em um alpendre a mercê do sol e das chuvas. Os livros didáticos e paradidáticos destinados a leitura dos estudantes estão amontoados em uma sala cheia de pingueiras, desorganizados e amontoados.

4. Escola Estadual Amélia Maria Lima Machado, povoado Brejão, Brejo Grande/SE: Os serviços de retelhamento, conserto das fossas e recuperação das instalações elétricas até a presente data nada foi feito, mesmo tendo sido informado pela SEED ao Ministério Público que haveria trabalhos de manutenção nesse estabelecimento de ensino. Os sanitários estão entupidos, estragados, quebrados e as crianças estão urinando no chão ou num balde. Os bebedouros estão quebrados e não funcionam. Falta uma quadra de esportes. O telhado está cheio de buracos e de ninhos de pardais, sendo que nesse tempo chuvoso os professores e alunos desenvolvem as atividades de ensino/aprendizagem em salas de aulas molhadas. A escola possui apenas um pequeno pátio de cimento velho e rachado, sendo que o mesmo também é utilizado para as aulas de educação física.