Com atraso salarial, professores de São Cristóvão podem paralisar atividades

49

 

 

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:”Tabela normal”; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:””; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:”Calibri”,”sans-serif”; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:”Times New Roman”; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:”Times New Roman”; mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Educadores de São Cristóvão realizam assembléia com indicativo de paralisação

Com salários do mês de julho em atraso e sem nenhum retorno da Prefeitura sobre a situação, os professores da rede pública de ensino do município de São Cristóvão realizam na sexta-feira, dia 18, uma assembléia, no Centro Educacional Prado Meireles, às 9h30, com possível aprovação de indicativo de paralisação para a próxima semana.

A prefeitura pagou somente aos professores que estão em salas de aula. Ficaram de fora do pagamento, os educadores que estão lotados na secretaria, os professores readaptados de função e os técnicos administrativos.