Mobilização dos professores ganha força em Sergipe

50

 

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:”Tabela normal”; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:””; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:”Calibri”,”sans-serif”; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:”Times New Roman”; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:”Times New Roman”; mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Com grande mobilização nas escolas públicas do interior e da capital, a paralisação estadual do magistério que está acontecendo durante esta quarta-feira, 16, vem ganhando força e unidade em todo o Estado de Sergipe.

A pauta de lutas e reivindicações da categoria contra a criminalização do direito de greve e em favor da gestão democrática nas escolas, das reformas de unidades de ensino e da implementação da lei 11.738/2008,que institui o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) continua em vários municípios sergipanos nos próximos dias e na semana que vem, quando os professores mantêm a mobilização para atender o calendário de lutas visitando as escolas e promovendo atos públicos.

Em Frei Paulo, as manifestações e suspensão de aulas permanecem amanhã e sexta-feira, dias 17 e 18. Na cidade de Ilha das Flores, os dias de mobilização e paralisação acontecem em 21, 22, e 23 de setembro. No município de Arauá, a paralisação será dia 22 e em Pedrinhas, dias 22 e 23. Nesta quarta, a partir das 14h, comitivas formadas por professores  da capital e das sub- sedes das regionais do SINTESE participam da grande marcha e ato público em Aracaju, quando os professores estarão se somando à manifestação contra a criminalização do direito de greve, realizada pela CUT.

Os docentes também participam do ato público em defesa da lei 11.738/2008 realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). A concentração acontece na Praça da Bandeira, onde os  educadores  saem em grande marcha em direção  ao prédio do Tribunal de Justiça, no centro de Aracaju