Você viu esta notícia nos jornais?

34

Nossa imprensa tenta passar por “imparcial” e “informativa”, mas a máscara cai a cada momento. Por que nossos jornais não noticiaram que a mulher do juiz Gilmar Dantas, aquele crápula que deu dois Habeas Corpus para o trambiqueiro Daniel Dantas, é agora funcionária do escritório do ladrão? Pois é… A mulher do juiz safado é funcionária contratada pelo corrupto. Uma pergunta: se fosse alguém do governo Lula, quantas manchetes e capas de revistas renderiam? Quantas horas de tele-jornais?

Ø Desemprego calculado pelo Dieese recua para 14,4%. A taxa de desemprego em seis regiões metropolitanas do País recuou de 14,6% em agosto para 14,4% em setembro, de acordo com pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em parceria com a Fundação Seade. É a segunda queda consecutiva do indicador, que já havia recuado de 15% para 14,6% de julho para agosto.

Ø Construção civil gera mais empregos. O crescimento dos empregos no setor de construção civil tem sido fundamental para manter a taxa de desemprego estável no País. De acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o número de empregados do setor em seis das principais regiões metropolitanas do País registrou, em setembro, alta de 16,2% em relação ao mesmo mês de 2008. Isso representou a criação de 155 mil postos de trabalho, quase três vezes mais que as vagas criadas pelo setor de serviços no mesmo período.

Ø Mais contribuintes da Previdência Social. A Previdência Social atingiu 55,3 milhões de contribuintes em 2008, resultado da inclusão de 4,1 milhões de novos segurados no sistema. O aumento é de 8,1%, em comparação com 2007. Os contribuintes com carteira assinada passaram para 43,5 milhões e os outros contribuintes somaram 11,8 milhões. Os números confirmam a tendência de expansão da cobertura previdenciária já indicada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) 2008, divulgada pelo IBGE em setembro. Os dados estão na 17ª edição do Anuário Estatístico da Previdência Social, lançada na última quarta-feira (28), pelo Ministério da Previdência Social.

Ø Mercado formal. O ministro da Previdência, José Pimentel, destacou o crescimento do mercado formal de trabalho no País, especialmente para os mais jovens. “O aumento de 16,47% no número de contribuintes com até 19 anos mostra que os jovens estão conquistando o primeiro emprego com carteira assinada e que já começam a trabalhar protegidos pela Previdência”, afirmou.

Ø Centrais sindicais querem horário gratuito no rádio e na TV. As centrais sindicais querem ter horário gratuito em cadeia nacional de rádio e TV, como os partidos políticos. Cada central teria um tempo de até dois minutos no rádio e na TV anualmente, sem pagar por isso, para divulgação de suas propostas. Projeto de lei nesse sentido foi encaminhado semana passada à Mesa da Câmara pelo deputado Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), e já está tramitando. Caberá ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), nomear relator e encaminhar o projeto para debate e votação.

Ø Centrais sindicais fazem denúncia na OIT. Seis centrais sindicais vão entregar, amanhã, em Genebra (Suíça), denúncia ao diretor-geral da OIT (Organização Internacional do Trabalho), Juan Somavia, para reclamar da interferência do MPT (Ministério Público do Trabalho) e da Justiça do Trabalho no movimento sindical. “Em várias regiões do País, os sindicatos estão sendo chamados para assinar termos de ajustamento de conduta porque os procuradores do trabalho não consideram adequada a cobrança de taxas de não sindicalizados. É o caso da taxa assistencial, que é descontada, por conta da negociação coletiva, uma vez por ano, de quem é sócio o ou não do sindicato”, diz Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical. “Se o não sindicalizado também se beneficia do mesmo reajuste negociado, por que ele não pode pagar a taxa assistencial?” A CUT informa que também serão denunciados atentados e assassinato de sindicalistas. Integrantes de movimentos sociais – do MST e da Contag (que reúne trabalhadores na agricultura)- também devem participar do encontro.

Ø Marighella será homenageado em São Paulo. A Câmara de Vereadores de São Paulo entregará, dia 4 de novembro, às 19 horas, o título de Cidadão Paulistando “in memorian” a Carlos Marighella, deputado constituinte em 1946 pelo Partido Comunista Brasileiro e criador da Ação Libertadora Nacional (ALN), que participou da resistência armada à ditadura militar. No dia 4 de novembro, completam-se 40 anos do assassinato de Marighella, em uma emboscada armada pela polícia política comandada pelo delegado Fleury, no centro da cidade de São Paulo. Nesse dia, Marighella tinha um encontro marcado com frades dominicanos. Acabou sendo emboscado e fuzilado, sem chance de defesa. A data será motivo de várias homenagens. Ainda no dia 4, será realizado, às 11h, um ato político no local onde ele foi assassinado (Alameda Casa Branca, 806, Jardim Paulista). Às 18h, ocorrerá a exibição do filme “Marighella; retrato falado de um guerrilheiro”, de Silvio Tender, no salão nobre da Câmara Municipal de São Paulo. No dia 7 de novembro, às 11h, será aberta a exposição “Marighella”, no Memorial da Resistência de São Paulo (Largo General Osório, 66).

Ø Cuidado com o feijã que consome! O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) pesquisou 33 marcas de feijão vendidas em diversas partes do país e constatou que quase um terço, nove delas, não poderia ser comercializada. Os produtos apresentavam impurezas acima dos padrões tolerados. Em sete foram encontrados insetos ou larvas vivas misturados aos grãos. As nove marcas que não poderiam ser vendidas são: Oriente (Belém/PA), Turamã (Belo Horizonte/MG), Padim (Jequié/BA), Peg Pag (Jequié/BA), Tio Neco (Jequié/BA), Bom Preço (Natal/RN), Kicaldo (Recife/PE), Líder (Recife/PE), Bastida (Porto Velho/RO). Esses problemas, junto com rotulagem insatisfatória e até presença de agrotóxicos proibidos, levaram o instituto a reprovar 20 (60%) das marcas analisadas. O Idec notificou as 28 empresas responsáveis pelas 33 marcas analisadas, mas apenas seis apresentaram justificativas em relação aos problemas detectados.

Ø Greve na Usina Tamoio (SP). Cerca de 280 trabalhadores rurais da Usina Tamoio, unidade do Grupo Cosan em Araraquara (SP), estão em greve por causa da redução dos salários. A Cosan alega que reduziu os salários porque as chuvas constantes na região fizeram o serviço diminuir, mas diz que o Acordo Coletivo da categoria, assinado em maio (aumento de 5,83% sobre os salários), foi cumprido normalmente.

Ø Agora é Lei: Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. O presidente da República em exercício, José Alencar sancionou, nesta quinta-feira (29), projeto de lei que institui o dia 28 de janeiro como o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. O projeto também cria a Semana Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, que incluirá o dia 28 de janeiro. A data foi escolhida para homenagear três auditores fiscais do Trabalho e um motorista do MTE assassinados em 28 de janeiro de 2004, durante vistoria a fazendas na zona rural de Unaí, Noroeste do estado de Minas Gerais.

Ø Escravos em escavações para rede da Claro! Após a denúncia de quatro pessoas que não suportaram as condições de trabalho, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Espírito Santo (SRTE/ES) libertou 17 vítimas de trabalho análogo à escravidão, em Vitória (ES). Elas escavavam canaletas para acomodar cabos óticos da operadora de telefonia celular Claro. As vítimas foram aliciadas no norte do Rio de Janeiro, no final de setembro. Mas vejamos como funciona a máfia: a Claro contratou a multinacional Relacom Serviços de Engenharia; esta, por sua vez, contratou a subempreiteira Dell Construções; a Dell, por sua vez, contratou um “gato” para arrumar os trabalhadores! Os trabalhadores entregaram suas Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS) ao “gato”, mas os documentos ficaram no Rio de Janeiro. A Dell Construções alugou uma espécie de galpão para alojar os empregados, no bairro Cobilândia, em Vila Velha (ES). Eles dormiam em colchonetes no chão. Havia somente um banheiro para todos. Não tinham itens de higiene pessoal e nem podiam comprá-los porque não receberam nenhum pagamento até o dia da fiscalização!

Ø 20 pessoas libertadas no Ceará. O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) libertaram 20 trabalhadores – 19 homens e uma mulher – que viviam em situação degradante numa fazenda no município de São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Fortaleza, no Ceará. Eles trabalhavam na extração e corte de madeira para olarias da região e estavam alojados em um estábulo sem banheiro, sem água potável e sem equipamentos de proteção individual. A direção da Fazenda foi obrigada a realizar exames médicos e a assinar as carteiras de trabalho dos trabalhadores para efeito de regularização. A fazenda teve de desembolsar cerca de R$ 25 mil para custear as rescisões.

Ø Escravidão na região sudeste. Entre janeiro e setembro deste ano, o número de pessoas encontradas trabalhando em condições análogas à escravidão em áreas rurais cresceu mais nas regiões Sudeste e Sul do país, justamente onde o agronegócio avança. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), foram resgatadas no período 743 vítimas em propriedades do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. É a primeira vez que a região lidera o ranking do trabalho escravo. Estados do Norte e Nordeste, onde historicamente os números são superiores, registraram queda. No total, 2.568 pessoas foram libertadas entre janeiro e setembro, em 101 operações do Grupo Especial de Fiscalização Móvel do ministério. Em igual período do ano passado foram 3.669 libertados, em 107 ações. No caso da região Sudeste, o aumento do número de libertados decorre da descoberta de 361 pessoas exploradas em plantações de cana-de-açúcar no Rio de Janeiro e de 284 em Minas Gerais. Em São Paulo – onde as ocorrências crescem nas plantações de laranja – foi realizada apenas uma operação com o resgate de 17 vítimas.

Ø Escravidão avança na citricultura. O Ministério Público do Trabalho (MPT) afirma que o trabalho escravo nas plantações de laranja é um problema crescente em São Paulo. O estado responde por 80% da produção de laranja no País. Em 2007, dos 18,6 milhões de toneladas produzidas, 14,9 milhões foram em propriedades paulistas. A cana-de-açúcar, antes o principal foco da atuação dos grupos de fiscalização, deixou de ser a maior preocupação nos últimos anos. “O trabalho escravo nas plantações de laranja sempre foi um problema no Estado. É uma preocupação constante nas nossas fiscalizações”, afirmou o coordenador nacional de erradicação do trabalho escravo do MPT, Sebastião Vieira Caixeta. A Associação Brasileira dos Citricultores (Associtrus) estima que 50 mil pessoas trabalhem na colheita de laranja no Estado de São Paulo.

Ø Argentina: 3º Encontro de Mulheres Sindicalistas. O 3º Encontro de Mulheres Sindicalistas aconteceu no dia 14 de outubro, em Buenos Aires. O principal eixo do encontro foi o tema “Trabalho Decente”, desdobrando em debates sobre “Violência no Trabalho”, “Soberania Alimentar”, “Lesões por Esforços Repetitivos (LER)”, “Problemas Ambientais” e outros.

Ø México, ainda naufragando no neoliberalismo. O México é um dos poucos países na América Latina que segue fiel à cartilha neoliberal. E continua sofrendo amargamente por esta opção de seus governantes. A economia mexicana, medida pelo Indicador Global da Atividade Econômica (Igae), teve queda de 6,9% em agosto passado na comparação com o mesmo mês de 2008. O PIB (Produto Interno Bruto) do México no segundo trimestre do ano teve forte retração de 10,2%, depois de no primeiro ter recuado 8,2%. Para este ano, o governo prevê uma contração da economia de 6,8%, mas analistas esperam queda de 7,2%.

Ø Frente Ampla vence no Uruguai. A coalizão progressista Frente Ampla terá maioria no Parlamento uruguaio. O seu candidato presidencial, José “Pepe” Mujica, também foi o mais votado no primeiro turno e vai enfrentar o liberal Luis Alberto Lacalle, do Partido Nacional.

Ø E nossa imprensa nem comenta! O capacho colombiano, Álvaro Uribe, declarou nesta semana que o acordo que ele assinou com os Estados Unidos para implantação de 7 bases militares no país não será levado ao Congresso. Ou seja, não será referendado pelos parlamentares, como manda a Constituição do país! Em nota oficial, o capacho diz que “Nosso governo está convencido de que foram cumpridos todos os requisitos, que não há necessidade de levá-lo ao Congresso, que existem argumentos para isto e que nem é necessário levar o tema ao Conselho de Estado”. Por muito menos do que isto deram um golpe em Honduras e tentam derrubar os governos da Venezuela e da Bolívia!

Ø Enquanto isto… Como o capacho odeia opositores ao seu governo, nesta semana o fundador do Pólo Democrático, Jaime López, foi assassinado por pistoleiros que “desapareceram” depois do crime. López foi abordado na rua por dois indivíduos, pouco depois de deixar seu filho no ônibus escolar, e levou vários tiros. O Pólo Democrático faz oposição a Uribe e tem denunciado os constantes crimes contra sindicalistas no país.

Ø 187 votos contra o bloqueio! A história se repete, há anos, e mais uma vez a Assembleia Geral das Nações Unidas discute a resolução que pede o fim do bloqueio econômico e financeiro dos EUA contra Cuba. Numa votação recorde, dos 192 países membros do organismo, 187 foram favoráveis ao fim do bloqueio. Somente os Estados Unidos, Israel (claro!) e Palau mantiveram-se a favor e as Ilhas Marchall e Micronesia se abstiveram. A votação mostra que o número de nações contrárias ao embargo, que em 1992 chegava a apenas 59, já é quase unânime. Há 18 anos, Cuba pede, na ONU, o fim do embargo que já lhe provocou 93 bilhões de dólares em prejuízo, segundo análises de economistas.

Ø Esta é para rir (ou chorar)! Apenas três países votaram favoravelmente ao bloqueio econômico contra Cuba: EUA, Israel (é claro!) e Palau. Mas agora vem a grande surpresa! Sabem quem é o “embaixador” de Palau na ONU? Um sujeito chamado Stuart Beck! E daí? O que tem isto de importante? Nada… Apenas que o “embaixador” de Palau na ONU é um estadunidense, com cidadania israelense, advogado com escritório em Long Island (EUA). Só isto! Como se pode ver, nada a estranhar…

Ø Na Guatemala, mais um sindicalista assassinado. No último domingo (25), Víctor Gálvez foi atacado por um desconhecido e levou vários tiros. O crime ocorreu quando o dirigente sindical saía do escritório onde trabalhava. A Confederação Sindical Internacional (CSI) enviou uma carta às autoridades guatemaltecas em que denuncia e condena o episódio. Esse não foi o primeiro ato contra a vida do sindicalista. No dia 20 de junho deste ano, ele e outras três pessoas foram agredidas e ameaçadas de morte durante uma manifestação em frente ao Instituto Nacional de Eletrificação (INDE). De acordo com a carta da CSI, Gálvez defendia a criação de uma empresa elétrica municipal, a tomada do controle da energia elétrica por parte do Estado, o fortalecimento do INDE, e a aprovação de uma Lei Geral de Eletricidade. A carta da CSI aos representantes da Guatemala está disponível em: http://www.ituc-csi.org/IMG/pdf/Asesinato_de_Victor_Galvez_-octubre_2009.pdf

Ø Honduras: tudo nas mãos do Congresso. O presidente constitucional Manuel Zelaya considerou “uma vitória” o acordo alcançado com os golpistas hondurenhos e o Congresso do país deverá decidir sobre o seu retorno à presidência. Zelaya disse que este é o caminho democrático para resolver o problema. Diante da embaixada brasileira em Tegucigalpa, onde se encontra Zelaya, a população comemorou o acordo.

Ø Honduras: movimento popular aguarda solução. Em comunicado oficial, a Frente Nacional de Resistência ao Golpe, em Honduras, informa seu apoio ao acordo e aguarda para este final de semana a decisão do Congresso restituindo o presidente Zelaya ao seu cargo. Mas alerta que “a Assembléia Nacional Constituinte continua sendo uma aspiração irrenunciável do povo hondurenho”.

Ø Fugindo? O golpista hondurenho, Pinochelleti, aceitou o acordo para o Congresso decidir sobre a volta de Zelaya ao governo. Mas devemos pensar se não há razões ocultas nesta decisão. Segundo o informe reservado do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a violação dos direitos humanos no país, desde o golpe, atingiu também as crianças. Foram registradas 13 mortes de crianças, por dia, desde que o Pinochelleti tomou o poder! Estará ele tentando fugir de um processo? Será que vai se “auto-anistiar” antes de sair do governo?

Ø Venezuela, finalmente, entra no Mercosul. Na quinta-feira (29), após várias horas de debate e com muita resistência por parte dos senadores da oposição, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, em Brasília, Brasil, conseguiu aprovar o protocolo de adesão da Venezuela ao Mercado Comum do Sul (Mercosul). O parecer do relator Tasso Jereissati (PSDB-CE), contrário à entrada da Venezuela no bloco, foi derrubado com 11 votos contrários. Cinco senadores votaram a favor do parecer e um se absteve. Com maioria, a base aliada do governo conseguiu assegurar a aprovação do voto em separado do senador Romero Jucá (PMDB-RR), favorável ao ingresso da Venezuela no bloco.

Ø No México, vitória temporária do sindicato. Guillermina Coutiño Mata, juíza federal da 1ª Região mexicana, concedeu na sexta-feira (30) um mandato suspendendo a liquidação da empresa de energia Luz y Fuerza del Centro, a pedido do Sindicato Mexicano dos Eletricistas.

Ø Espanha: um alerta sério! Cerca de 28% dos trabalhadores europeus sofrem com estresse, mas este não é o único problema. As condições de trabalho causam também fadiga crônica, cefaléias, ansiedade e problemas de sono. Na Espanha a situação é ainda pior e, segundo um estudo realizado pela Universidade de León, mais de 60% dos trabalhadores passam por problemas de saúde mental. O documento intitulado “A saúde psíquica dos trabalhadores: fatores desencadeantes e estratégias para prevenir a doença mental” é uma longa investigação realizada por especialistas e lista os principais problemas encontrados, alguns conhecidos e outros novos novos como a chamada “gripe do yuppie” (dependência ao trabalho). O perfil das pessoas afetadas destaca: “sujeitos muito competitivos, ativos e agressivos que procuram alcançar níveis mais elevados e maior número de objetivos no menor tempo possível”.

Ø Na Espanha, tomada de fábricas. Pelo menos 40 empresas que passavam por graves dificuldades, causadas pela recente crise econômica, foram convertidas em cooperativas de trabalhadores que assumiram a administração. Os trabalhadores espanhóis seguem o exemplo dos argentinos que, em 2002, diante da crise causada pelo neoliberalismo, passaram a tomar e ocupar as empresas. Dados da Confederação de Cooperativas de Trabalho, da Espanha, registram a tomada de 40 empresas nos últimos dois anos, comparando com nenhum caso nos 20 anos anteriores!

Ø Na Europa, extrema-direita busca unidade. Um novo perigo ronda a classe trabalhadora na Europa. O nome é até pomposo: “Aliança dos Movimentos Nacionais Europeus”. Mas trata-se de uma organização criada para fortalecer os cinco partidos de extrema-direita da Bélgica, França, Hungria, Itália e Suécia. O grupo pode ainda receber a adesão do Partido Nacional Britânico e também de organizações espanholas. A matéria pode ser encontrada em http://euobserver.com/9/28888

Ø Problemas causados por transgênicos. O Ministério do Meio Ambiente da Espanha reconheceu, pela primeira vez, a existência no país de pessoas afetadas por produtos transgênicos. Há cerca de 10 anos, organizações ecologistas já vinham denunciando os efeitos da plantação de milho transgênico e os efeitos nas plantações convencionais. Agora o problema tornou-se grave e o Ministério iniciou um estudo intitulado “Coexistência do milho geneticamente modificado com o milho convencional. Experiência dos agricultores afetados”. A Monsanto, só para variar, aparece como a principal implicada.

Ø Advogados europeus investigam crimes de guerra de Israel. Um grupo de advogados europeus está investigando os crimes de guerra cometidos por Israel no ataque à Faixa de Gaza. A coordenação do grupo é feita pelo advogado Daniel Makover, de Londres, e participam profissionais da Espanha, Holanda, Bélgica e Noruega. O objetivo é levar aos tribunais internacionais os oficiais israelenses acusados de crimes de guerra.

Ø Menos leitores de jornais, nos EUA. A queda na circulação de jornais nos EUA está se acelerando. Os jornais reclamam que os leitores estão “migrando” para a internet e houve uma queda de receita com publicidade. De acordo com números divulgados pelo Audit Bureau of Circulations (Escritório de Auditagem de Circulação), a circulação média diária caiu 10% entre abril e setembro, na comparação com o mesmo período em 2008. O “Wall Street Journal” superou o “USA Today” como o jornal de maior vendagem. O “New York Times” se manteve na terceira colocação. A circulação dos jornais estadunidenses vem declinando desde o início da década de 1990, mas o recuo tem se acelerado nos últimos anos.

Ø EUA: 200.000 crianças prostituídas! O tema foi levantado por George Sheldon, secretário do Departamento para Crianças e Família, na Flórida, e já está em alguns jornais estadunidenses. A grande preocupação de especialistas, funcionários do departamento de polícia e serviços sociais é que estão perdendo a luta contra o tráfico de pessoas, uma forma moderna de escravidão. Segundo dados oficiais, cerca de 200.000 crianças já são usadas em redes de prostituição. Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, entre 14.500 e 17.500 estrangeiros são introduzidos anualmente no país por traficantes de seres humanos. Ao todo, cerca de 13 milhões de pessoas (mulheres e crianças) fazem parte da rendosa atividade de “escravismo sexual”. Segundo a ONU, o “negócio” rende cerca de 31 bilhões de dólares de lucro líquido ao ano!

Ø Mágica numérica. Os jornais brasileiros (e em vários países) comemoraram neste final de semana o “fim da recessão nos EUA”. As manchetes falam em 3,5% de crescimento na economia estadunidense, mas nenhum jornal fala que é tudo obra de “matemágica”. Na verdade, os economistas de Obama estão considerando como crescimento econômico os trilhões de dólares que o governo investiu para salvar empresas. Assim fica fácil!