Professora de Gararu é ameaçada por denunciar transporte escolar

56
img_1995

 

img_1995
img_2310
img_2276

A professora da rede municipal de Gararu, Maria Rozileide de Freitas, foi ameaçada por Josevaldo Alves dos Santos, que é dono de vários dos veículos que fazem o transporte para a prefeitura de Gararu.

Veja o Relatório

Para a direção do SINTESE a postura do senhor Josevaldo é totalmente inaceitável. “Vivemos em um país democrático e nós como sindicato que representa uma categoria estamos cumprindo nosso papel em fazer a denúncia e não vamos deixar de cumpri-lo”, disse Joel Almeida, presidente do SINTESE.

Rozileide, que também é coordenadora de Comunicação da sub-sede Alto Sertão do SINTESE, estava junto a uma equipe do sindicato, realizando o registro fotográfico do transporte de Gararu solicitado pela Procuradoria Geral da República, quando Josevaldo ao ter um dos seus veículos fotografados, disse a professora que se ele perdesse o contrato com a prefeitura por causa das fotos “o dela estava guardado e que ia pegá-la”. A professora prestou queixa na delegacia do município e conta com o apoio do departamento jurídico do SINTESE.

As fotos tiradas pelo sindicato mostram a dura realidade do transporte escolar em Gararu, as crianças e jovens são transportados em caminhões pau-de-arara. Quando a estrada não permite o acesso dos caminhões, os donos terceirizam o serviço contratando motocicletas para buscar os alunos. Isso coloca em risco a vida dos alunos.

O SINTESE está preparando um relatório sobre a situação para ser encaminhado para a Procuradoria Geral da República e também ao FNDE – Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação, que administra o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar.

ALESE

Na sessão do dia 10, a deputada estadual Ana Lúcia, fez pronunciamento na Assembleia Legislativa sobre o problema do transporte em Gararu e também da ameaça sofrida pela professora. “Nos 61 anos da Declaração dos Direitos Humanos vemos que em municípios sergipanos direitos fundamentais como a Educação e a Segurança não são respeitados”, disse a deputada.