Professores de Divina Pastora em greve

40
Os educadores de Divina Pastora a partir desta segunda-feira, 29, paralisam por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia geral da categoria semana passada, após mais uma tentativa de negociação entre o SINTESE e a administração municipal.

O magistério municipal vem buscando abrir a negociação para a total implantação do piso, mas o poder executivo não tem aberto espaço para diálogo. Os professores querem também a reformulação do Plano de Carreira e exigem o pagamento do 1/3 terço ferial que deveria ser pago em janeiro e até agora o pagamento não foi efetivado.

A Lei Federal nº 11.738/08 determina que a Integralização do PSPN deveria ter sido paga desde janeiro deste ano. O valor de R$1.024,67 foi estabelecido pelo Ministério da Educação após consulta à AGU – Advocacia Geral da União que definiu o novo valor do piso com base na diferença do custo-aluno nos anos de 2008 e 2009.

Paralisação

Os educadores das redes municipais de Neópolis e Santana do São Francisco prosseguem nesta segunda a paralisação iniciada dia 25. Na sexta-feira, professores dos dois municípios participaram de cursos de formação.Hoje (29) os educadores de Neópolis se reúnem em assembleia para avaliar o movimento grevista.

A diretora do departamento de bases municipais, Lúcia Barroso e a comissão negociação de Santana do São Francisco se reúnem, em Aracaju, com o prefeito Ricardo Roriz.
Os professores de Santana estão sem receber o salário de fevereiro e as férias do mês de janeiro. “Já estamos chegando próximo ao prazo de receber os salários do mês de março, mas até agora nada”, disse Geise Morais, delegada sindical do SINTESE no município.