Governo Serra “ao apagar das luzes”

68

Nossos jornais fizeram questão de mostrar a despedida “oficial” de Serra, afastando-se do governo de São Paulo para se lançar candidato à presidência. Mas não mostraram a outra despedida, aquela que os professores de São Paulo vão demorar muito para esquecer. Dias antes de sair do governo, Serra mandou sua bem treinada polícia reprimir com violência a passeata dos professores que estão em greve. Para que não seja esquecido, vejam as cenas da violência: Vídeo 1: Início da agressão da PM contra os professores paulistas no Morumbi – 26/03/2010 – http://www.youtube.com/watch?v=RWzKFV6Bt7A; Vídeo 2: PMs partindo para cima de manifestantes – http://www.youtube.com/watch?v=3iDhh8ErpDc; Vídeo 3: Prisão de um professor no Morumbi – http://www.youtube.com/watch?v=wVg0jIJ0geg

u PM de Serra infiltrado na passeata. A prática não é nova, mas sempre causa efeito. Durante a passeata dos professores em São Paulo, violentamente reprimida, os jornais paulistas (Estadão e Folha) preocuparam-se em defender o “governador e futuro candidato presidencial”. E quase conseguiram um belo trabalho ao publicarem uma fotografia de um homem que carregava uma PM ferida durante o confronto. Uma imagem para comover o público, mas que durou pouco! Inicialmente, um texto do jornalista Leandro Fortes reproduziu a versão difundida pela Agência Estado dando conta de que o homem era um manifestante que participava do ato dos professores. Diante da repercussão causada pela foto, dois dias depois, o comando da PM de São Paulo divulgou uma nota garantindo que se tratava de um policial à paisana “que estava passando por ali por acaso”. A PM negou tratar-se de um “infiltrado”, mas negou-se a divulgar o nome do mesmo o que só reforça a tese de que se tratava de um homem do chamado “serviço de inteligência” da polícia. Tudo armação de Serra!!!!!

u A Globo pode invadir terreno, com apoio do Serra! A história é estranha, sim, e um grande trambique que está sendo escondido por nossa imprensa. O Departamento de Estradas e Rodagem, organismo ligado ao governo de São Paulo, desapropriou uma enorme área num bairro da zona sul de São Paulo (Brooklin). O enorme terreno em área nobre – com água e esgoto, luz, telefone, várias linhas de ônibus e ao lado de dois Shoppings Centers – foi cedido para um “condomínio” interessado em construir um hotel, uma emissora de TV e um banco. O tal consórcio adquire o terreno, que é escriturado e registrado num dos Cartórios da cidade. Acontece que o terreno tinha dono! Manoel Borges Ferreira, 66 anos, dono do terreno que foi “grilado” e depois negociado com o governo do Estado (leia-se José Serra) tem escritura, recolhe IPTU e tem registro no 15º Cartório de Imóveis. E agora? O que a Globo e o Serra farão? Para ler mais sobre o assunto e os desdobramentos da ação: http://maureliomello.blogspot.com/2010/03/ah-o-terreno.html.

u Estatais continuam investindo. Os investimentos realizados pelas empresas estatais federais no primeiro bimestre deste ano foram 41,7% maiores em relação ao mesmo período do ano passado, aproximando-se da marca de R$ 12,5 bilhões. Em comparação ao primeiro bimestre de 2008, houve crescimento de mais de 110% no total de investimentos realizados no período. As informações são do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. O balanço dos meses de janeiro e fevereiro de 2010 sobre os investimentos das estatais foi divulgado em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU), pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest). De acordo com a portaria, foram executados R$ 12.454.580.837,00, o que representa cerca de 13% do total de investimentos programados para o ano de 2010, que ultrapassam R$ 94,5 bilhões, de acordo com as previsões da Lei Orçamentária Anual (LOA).

u CUT continua campanha pelo Haiti. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) continua apoiando na reconstrução do Haiti após o terremoto de 12 de janeiro. Com a campanha “SOS Sindical Haiti” foram arrecadados até a semana passada cerca de R$ 25 mil por meio de contribuições de entidades afiliadas de todo o Brasil. O dinheiro será revertido em ajuda para a reconstrução das organizações de trabalhadores do Haiti parceiras políticas da CUT e para assistir às famílias dos sindicalistas haitianos. No próximo mês, uma comitiva de sindicalistas visitará a capital haitiana, Porto Príncipe, para desenvolver atividades de ajuda na reconstrução dos sindicatos e ações de auxílio à saúde dos que estão debilitados. Um diretor executivo da CUT nacional afirmou que os sindicalistas haitianos que sobreviveram ao terremoto asseguram que as doações não estão chegando. “Além da ajuda humanitária não estar chegando e grande parte da população do país não ter o que comer, o Governo do Haiti agora pretende suspender as doações de comida para não prejudicar o comércio”.

u A representatividade das centrais sindicais. O Ministério do Trabalho divulgou nesta semana os índices de representatividade das centrais sindicais brasileiras. Tomando por base o recadastramento feito pelos sindicatos e os dados informados através da página do próprio MTE, a CUT continua sendo a maior central, com 38,23%, seguida pela Força Sindical, com 13,71%. Depois vem a CTB (7,55%); a UGT tem 7,19%; a NCST (6,69%); e a CGTB (5,04%). O relatório foi publicado nesta segunda-feira (29), no Diário Oficial da União (DOU), porque a aferição da representatividade das centrais sindicais é prevista pela Lei 11.648, de 2008, que reconhece legalmente as centrais sindicais como entidades de representação dos trabalhadores.

u Melhores reajustes salariais. Grande parte dos trabalhadores do país deve conseguir ajuste salarial igual ou acima da inflação neste ano, prevê o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A inflação baixa e o crescimento econômico elevado deverão contribuir para a alta salarial em todas as categorias acompanhadas pelo Dieese. Em 2009, 93% de 692 categorias tiveram esse resultado. Em 2008, quando a economia cresceu 5,1% e a inflação registrou média de 6,46%, 88,5% de categorias tiveram reajustes iguais ou maiores que a inflação. “Nos momentos em que a inflação é mais alta, os resultados dos acordos costumam ser piores”, avaliou.

u Adiado julgamento do fazendeiro Bida. Os advogados de defesa do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, acusado de ser o mandante da morte da missionária americana Dorothy Stang, conseguiram adiar o julgamento do réu, que enfrentaria nesta quarta-feira o Tribunal do Júri em Belém. A Corte aceitou o argumento de que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Cezar Peluso ainda não analisou o pedido de habeas corpus protocolado pela defesa em fevereiro. Um novo julgamento foi marcado para o dia 12 de abril. Este seria o terceiro julgamento de Bida. No primeiro, ele foi condenado a 30 anos de prisão, mas obteve direito a um novo júri. No segundo, ele foi absolvido, mas a sentença foi anulada.

u O que querem os patrões do campo? A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), presidida pela senadora Kátia Abreu (DEM-TO) e já famosa por seus ataques ao MST, aprovou uma carta ser entregue aos candidatos à presidência da república. O documento foi aprovado no seminário “O que esperamos do próximo presidente”, realizado pela entidade em 24 e 25 de março, em São Paulo. O documento reivindica ainda mais concentração de terras no país e promove criminalização dos movimentos sociais. Apresenta defesa do direito absoluto de propriedade, exigindo garantias contra ocupações de terras e condena “a publicação e edição de normas que ferem o direito de propriedade”. Outra reivindicação é a revisão da Norma Regulamentadora (NR) 31, de 2005, que estabelece as obrigações dos fazendeiros em relação à saúde e segurança do trabalho. O descumprimento desta norma é um dos critérios que caracteriza a exploração do trabalho escravo pelos grandes proprietários rurais.

u Libertos mais de 80 trabalhadores em carvoarias de Goiás. O funcionamento de 14 carvoarias na zona rural de Jussara (GO), no local conhecido como Vale do Araguaia, dependia de 81 trabalhadores submetidos a condições análogas à escravidão. O quadro de irregularidades foi encontrado pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Goiás (SRTE/GO), em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Federal (PF), entre os dias 22 de fevereiro e 10 de março deste ano. A maior parte dos empregados foi aliciada em Minas Gerais. “Algumas funções, como a de carbonizador, requerem trabalho especializado e Minas Gerais possui muitas pessoas com conhecimento nessa área”, explica Roberto Mendes, coordenador da fiscalização rural da SRTE/GO. As vítimas desmatavam a vegetação, retiravam a lenha e produziam carvão. As 14 carvoarias estavam localizadas nas seguintes propriedades: Fazenda Água Limpa do Araguaia, de propriedade de Antônio Joaquim Duarte; Fazenda Pompéia, que pertence a Jairo Benedito Perillo; Fazenda Nossa Senhora Aparecida, de Labib Adas; Fazenda Chaparral, de Renato Rodrigues da Costa; e Fazenda Santa Rosa do Araguaia, da empresa Oesteval Agropastoril Ltda.

u Muita atenção: a OI quer vigiar você! Está em fase de testes um projeto da Oi que vai mapear os acessos à internet dos clientes do seu serviço Velox. Com essas informações, a Oi levaria ao consumidor um conteúdo personalizado, mas garantiria à companhia ganhos sobre uma publicidade mais segmentada que viria em consequência. Batizado de Navegador, o programa polemiza sobre uma das questões mais críticas da internet: a privacidade. Hoje, cem funcionários da Oi testam o projeto – que conta com a parceria de portais como Estadão, iG, Terra e UOL. A Oi garante que a navegação do usuário não é rastreada e que não há armazenamento de dados. Quem acredita nisto?

u Por que nossa imprensa não fala disto? Há pouco tempo, nossos jornais encheram páginas para falar de uma falsa “blogueira” cubana que teria sido censurada pelo governo da Ilha. Pouco tempo depois a máscara caiu e tudo foi desmentido, mas os nossos jornais preferiram “esquecer” de publicar isto. Agora estamos diante de um caso muito mais sério e nossa imprensa “tão livre” nada diz. O escritor cubano Enrique Ubieta, que mantinha um “blog” chamado “A Ilha”, foi vítima de censura. Os administradores do portal Google, onde o estava o “blog”, desabilitaram o acesso à página de Enrique Ubieta e bloquearam seu endereço eletrônico no Gmail.

u Denunciando a campanha contra Cuba. A Coordenação Equatoriana de Solidariedade com Cuba repudiou as tentativas dos EUA e da União Europeia de condenar a Ilha caribenha com evidentes intenções de prejudicar seu prestígio e credibilidade. “Amigas e amigos da Revolução Cubana no Equador, não podemos permanecer calados frente à campanha midiática internacional orquestrada pelos Estados Unidos”, diz o documento. Em outro trecho, escrevem: “Os países do mundo que votam a cada ano nas Nações Unidas contra o bloqueio reconhecem Cuba como um país livre de torturas, sequestros políticos, desaparições de detidos e execuções extrajudiciais”.

u SOS Honduras. No último sábado (27), um comunicado divulgado pelas Feministas em Resistência (FER) denunciou as perseguições a toda a população que continua rejeitando o golpe de Estado e o governo golpista de Porfio Lobo Sosa. Mesmo com os constantes atentados, as feministas asseguram que continuarão unidas e não vão desistir da luta. No último dia 24, Erlinda Reyes e Alina Aguilar, integrantes do Sindicato de Trabalhadores da Universidade Nacional Autônoma de Honduras (SITRAUNAH) foram presas e levadas para o Tribunal de Tegucigalpa onde foram acusadas de praticar sedição, usurpação e coação e condenadas a prisão domiciliar. Pena que, após dois dias, foi modificada como se as acusadas fossem delinquentes comuns. Ainda no comunicado, as Feministas em Resistência afirmaram que a poeta Rebeca Becerra foi novamente vítima de perseguição e intimidação. Ela foi abordada e intimidada por desconhecidos!

u Entidades temem pela vida de Rebeca Becerra. Desde que voltou a ser alvo de perseguições, a poetisa e integrante da Frente Nacional de Resistência Nacional, Rebeca Becerra, vem recebendo apoio de vários países. Nesta semana, movimentos organizados de países da América Latina assinaram um comunicado onde pedem a segurança da artista e denunciam as autoridades hondurenhas como responsáveis pelos atos de clara violação aos direitos humanos e cidadãos. De acordo com denúncia divulgada pela poetisa, às 3h30 da manhã do dia 26 de março, dois indivíduos entraram no prédio onde ela mora com as filhas. Segundo ela, vizinhos afirmaram que os dois indivíduos estavam em um terreno baldio próximo ao edifício onde vive. Rebeca comenta que apenas percebeu o que acontecia após ouvir os gritos de uma vizinha que os viu no terreno.

u Jornalista sai de Honduras para escapar de ameaças. José Alemán saiu de Honduras depois de receber várias ameaças de morte e se tornou o primeiro a deixar o país. Ele era correspondente da emissora Radio América na cidade de San Marcos e declarou estar recebendo ameaças desde que fez a cobertura de um confronto entre a polícia e um grupo de supostos deliquentes que deixou uma pessoa morta. Alemán chegou a ser seguido pelas ruas e sua casa foi atingida por vários tiros.

u Nem uma palavra na nossa imprensa! Apenas no mês de março, cinco jornalistas foram assassinados em Honduras. Desde o golpe de Estado, em 28 de julho, 150 pessoas foram mortas por organismos de repressão ou paramilitares contratados. O que mais precisa acontecer para a nossa imprensa dizer a verdade sobre o que está acontecendo em Honduras, sob as bênçãos de Obama? Enquanto o Departamento de Estado de Obama gasta muito dinheiro apoiando agências internacionais e cadeias de imprensa pelo mundo para lançar mentiras contra Cuba, nenhuma linha é escrita sobre o que está acontecendo no país que Hillary Clinton disse “estar no rumo da democracia”.

u O capacho foi humilhado. Depois de libertado pelas FARC, o sargento colombiano Pablo Emilio Moncayo se apresentou em uma coletiva para a imprensa e elogiou os presidentes Lula, Correa e Chávez pelo que fizeram para tornar possível sua libertação, mas em nenhum momento citou o nome do capacho Álvaro Uribe ou membros do governo colombiano. A parte mais importante da sua entrevista é quando um jornalista pergunta sua opinião sobre a guerrilha e ele responde: “Acredito que o que eu penso sobre a guerrilha das FARC em nada vai mudar o rumo da história da Colômbia. O que importa é que existe, é uma realidade, não se pode negar por mais que se queira”. Uribe deve estar uivando de raiva!

u Manipulação da informação é isto aí. O jornalista e pesquisador Carlos Martínez publicou nesta semana um interessante artigo mostrando como se manipula a informação em seu país (Espanha), mas certamente isto também ocorre por aqui. Ele fez um teste usando a página eletrônica de um jornal espanhol muito conhecido, o “El País”. Utilizando o sistema de busca do próprio jornal, ele digitou a palavra “Cuba” e surgiram “1.438 resultados encontrados”, todos criticando o país caribenho e falando em “falta de direitos humanos”. Depois ele digitou a palavra “Venezuela” e surgiram “1.336 resultados”, todos criticando o governo Chávez e falando de censura à imprensa no país. Carlos Martínez resolveu fazer mais uma busca e digitou “Honduras”, pais que acaba de sofrer um golpe e onde sindicalistas e opositores estão sendo assassinados. Para sua surpresa, apareceram apenas “833 resultados”, mas nenhum sobre o golpe ou sobre a repressão interna no país! Entre as matérias do “El País” que falam de Honduras está a passeata das “damas de branco”, em Miami!

u CIA preocupada com as “mentes” na Europa. Um documento da CIA que “vazou” e foi divulgado na página do “Wikileaks Web” mostra a preocupação do governo dos EUA com a opinião pública européia que já não concorda com a guerra no Afeganistão. O documento não fala de uma campanha direta defendendo a guerra, mas traz várias sugestões para “convencer” o povo da necessidade de “democratizar” o Afeganistão. Há uma grande preocupação com a opinião pública na França e na Alemanha, onde o documento “sugere” fazer campanha sobre o “sofrimento das mulheres afegãs”. Além disto, o documento “sugere” também que a mídia faça campanha mostrando os problemas de um possível fracasso da OTAN no Afeganistão. Para ler o documento, em inglês: http://file.wikileaks.org/file/cia-afghanistan.pdf

u Outra derrota de Sarkozy. O capacho francês sofreu mais uma derrota. Ele e seus deputados imaginavam uma nova “caça às bruxas” com a lei que proibia mulheres francesas de usar a burka ou o véu islâmico. A tal lei, votada no parlamento, estabelecia multa ou até mesmo prisão para alguns casos. Mas o Conselho de Estado, instância máxima jurídica da França, disse que “não há qualquer argumento jurídico que permita instaurar uma proibição do véu nas ruas”. Ou seja, Sarkozy vai ter que “enfiar a viola no saco” e inventar outra maneira de aparecer na mídia.

u Taxa de desemprego bate recorde na zona do euro. O índice de desemprego na zona do euro atingiu 10% em fevereiro, batendo o recorde desde a criação da moeda única em 1999, segundo a primeira estimativa publicada nesta quarta-feira pela agência europeia de estatísticas, Eurostat. Nos três meses anteriores, a taxa ficou em 9,9% da população ativa nos 16 países que integram o bloco. Em fevereiro de 2009, o índice ficou em 8,8%. 61.000 pessoas perderam o emprego no mês passado, elevando o total a 15,7 milhões de pessoas.

u Nestlé contra o planeta! No dia 17 de março, ocorreram protestos por toda a Europa contra a destruição das florestas que servem de habitat para orangotangos na Indonésia. O motor dessa devastação, que colocou os primatas à beira da extinção, é a conversão do uso do solo de mata virgem para o plantio de palmáceas. A Nestlé, que sustenta essa atividade comprando óleo de palma da Indonésia para produzir chocolates como o Kit kat foi o alvo das manifestações no continente europeu, parte de uma campanha global que o Greenpeace lança contra a companhia. Segundo o Greenpeace, além de financiar a derrubada em massa de mata na Indonésia e empurrar os orangotangos para o abismo da extinção, a Nestlé está contribuindo para agravar o aquecimento global.

u Não é piada! O governo de Israel acaba de entrar para a lista dos maiores absurdos da humanidade. A denúncia foi feita durante a semana pelo “Centro Jerusalém para Direitos Sociais e Econômicos” que denuncia a agressão sofrida pela família de Majed Hannoun. Eles moravam em uma casa, no bairro de Sheikh Jarrah (Jerusalém Leste), e foram obrigados pelo exército de Israel a deixar a residência que foi ocupada por colonos judeus. Todos os móveis e pertences da família de Majed foram colocados em um caminhão do exército e levados para uma praça, deixados ao relento. Este “despejo” aconteceu no início do ano passado e agora a família vive em uma tenda, em área destinada a refugiados palestinos. Mas o absurdo não parou aí. Nesta semana, Mojed Hannoun recebeu uma intimação para pagar ao governo de Israel a quantia de 13.000 NIS (Novo Shekel, moeda israelense) pelos “gastos com a mudança”!

u Querem falar de “direitos humanos”? A aviação de Israel realizou na madrugada de sexta-feira seis ataques contra a Faixa de Gaza, ferindo três crianças, informaram fontes médicas palestinas. As crianças feridas, de dois, quatro e onze anos, foram vítimas do bombardeio israelense contra o bairro de Sabra, a oeste da cidade de Gaza, segundo o médico Moawiya Hassanein, chefe do serviço local de emergências. Os aviões israelenses fizeram duas incursões contra o oeste de Gaza, onde destruíram uma pequena fábrica de laticínios. Os ataques foram realizados por caças F16, fabricados nos EUA, revelaram as fontes.

u Terrorismo aéreo. Aviões militares israelenses estão iniciando uma nova tática: “terrorismo aéreo”. Durante a noite, aviões militares sobrevoam regiões fronteiras da Faixa de Gaza e lançam panfletos anunciando ataques do exército de Israel. Em um panfleto, com o desenho de uma criança, está escrito (em árabe) “Espere a resposta amanhã”!

u Querem falar de “direitos humanos”? A advogada e defensora Kimberly Motley acaba de entregar um estudo feito pela organização de direitos da infância “Terre des Hommes” com alguns fatos que jogam por terra qualquer discurso sobre “direitos humanos” feito por Obama ou membros do seu governo. Kimberly Motley entrevistou, pessoalmente, 250 dos 600 menores de idade que estão presos em cárceres estadunidenses no Afeganistão e seu trabalho mostra que os menores foram torturados para assinarem confissões. A pesquisa foi feita entre setembro e dezembro de 2009, em 28 províncias, e o estudo comprova um outro relatório feito pela Unicef (ONU), em 2008, sobre as torturas a menores. Nas duas pesquisas, 55% dos meninos e 11% das meninas disseram ter sido torturados para assinar confissões, alguns assinaram em branco, sem saber do que estavam sendo acusados.

u Quem fala em “direitos humanos”? O “Serviço de Imigração e Controle de Fronteiras” dos EUA (ICE, sigla em inglês) conta com um sistema de 350 prisões que, na maior parte, são entregues para administração e controle de empresas privadas. Segundo informe divulgado no início do ano pela organização “American Civil Liberties Union”, a situação dos imigrantes presos é alarmante. Em primeiro lugar porque lhes é negado o direito de representação legal, mas isto é pouco diante do que já foi registrado e documentado pela entidade: prisioneiros que “desaparecem” repentinamente das celas e seus nomes são depois retirados das listas, como se nunca tivessem existido; mulheres que foram violentadas nas celas e depois foi negado o direito de aborto; crianças que ainda estão sendo amamentadas e que são retiradas das mães; etc. Segundo a denúncia, nos últimos cinco anos morreram mais de 100 imigrantes presos.

u O “maravilhoso” negócio das drogas, nos EUA. Como já dissemos aqui no Informativo, os EUA não se tornaram apenas “o maior consumidor de drogas do mundo, mas é também o maior produtor de marijuana (maconha)”. Agora trazemos mais alguns dados deste lucrativo negócio. Em 2009, segundo estimativas dos institutos locais, a produção estadunidense de maconha atingiu o recorde de 10.000 toneladas métricas anuais e seus lucros são maiores do que a produção de milho ou de soja. O mais curioso é que, segundo o Serviço de Narcóticos do Departamento de Defesa dos EUA, a maconha é plantada em parques nacionais. Uma das maiores plantações está na Floresta Nacional de Sequóias, na Califórnia. Um documento da Organização Mundial de Saúde assinala que os EUA consomem um terço de toda a cocaína produzida no planeta! Os lucros deste “negócio” movem cerca de 100 bilhões de dólares anuais e, diante da crise atual, ajudam a movimentar o Produto Interno Bruto (PIB) do país. E um documento do Departamento de Estado confirma que a Colômbia continua liderando a produção de cocaína no mundo, com 70% do total!

u Garoto de 12 anos será julgado como adulto. Na Pensilvânia (EUA), Jordan Brown, de 12 anos, será julgado como adulto pelo assassinato da noiva de seu pai! Ele atirou em Kenzie Marie Houk, noiva de seu pai, com uma escopeta.

u Sempre os EUA! Se a Colômbia, sob os auspícios da CIA e do governo estadunidense, se tornou o primeiro produtor mundial de cocaína (consumida pelos EUA), o Afeganistão também ocupa um importante lugar entre os produtores de drogas. Desde a invasão do país por tropas estadunidenses, tornou-se o maior produtor mundial de ópio e de haxixe, superando o Marrocos, segundo a ONU. O “lucro” com a venda de ópio, em 2009, foi de 438 milhões de dólares, segundo o Serviço contra a Droga e o Delito, da ONU (ONUDD).

u Quem é a “dama” de Miami? Gloria Estefan, uma das “damas de branco” de Miami que aparece em passeatas e manifestações contra Cuba, tem um longo currículo que nossos jornais escondem. Além de ser ex-agente da CIA, como ela diz “orgulhosamente”, é ligada a grupos terroristas como o Alpha 66 e o Comandos F-4. Seu pai, José Fajardo, era guarda-costas do ditador cubano Fulgêncio Batista e depois, quando já vivia nos EUA, foi contratado como mercenário no famoso caso de tentativa de invasão em Playa Girón. Ela e seu marido, Emilio Estefan, são acusados de investir dinheiro no tráfico de pessoas entre Cuba e México e um jornal da República Dominicana a acusou de relações com uma rede de narcotraficantes.

u Preocupações com o petróleo. Cerca de 57% do petróleo consumido pelos EUA é importado e a produção mundial, como se sabe, está estagnada em torno dos 85 milhões de barris/dia. O anúncio do presidente Obama de que irá abrir à perfuração novas zonas no offshore da costa Oeste e do Alasca tem tudo a ver com isso. Eles estão “raspando o fundo do tacho”, numa tentativa de adiar as consequências do Pico Petrolífero. Segundo o secretário do Interior, Ken Salazar, nas zonas agora abertas à exploração haverá 39 a 63 bilhões de barris de petróleo recuperável. Admitindo que isto seja verdade e que se possa realmente recuperar este petróleo até à última gota (e sem considerar os custos de extração), estas reservas seriam suficientes para 459 a 741 dias do consumo mundial. E depois?