SINTESE realiza balanço político sindical

47
reuniao_4_10

Durante Encontro Estadual do Balanço político do SINTESE, na última sexta (30), a chapa “Resistência e luta, sempre!” reuniao_4_10apresentou seu planejamento estratégico para a possível gestão de 2010/2013. No bojo das metas traçadas pela única chapa a disputar o processo eleitoral tem destaque a luta por uma educação de qualidade social para as filhas e os filhos da classe trabalhadora.

A professora Ângela Melo, candidata a presidente, ressaltou pontos importantes para a articulação e luta nos próximos anos.
Parcerias com outras organizações sindicais, distribuição de revistas para filiados (espaço de reflexão e divulgação da produção pedagógica dos professores) e inserção de debates sobre gênero, etnia, homossexualidade tanto nas escolas como nos espaços de formação do sindicato fazem parte do plano de ação sindical proposto pelos membros da chapa.

Joel Almeida (presidente do SINTESE) aproveitou o espaço para avaliar não somente a atual gestão como também a disputa interna no sindicato. “Entramos como chapa única porque outros grupos não quiseram disputar conosco, mas isso não pode servir para acomodar”, ressaltando a importância de uma campanha à altura do histórico de militância do sindicato dos trabalhadores em educação.

A evolução da filiação nos 75 municípios do estado de Sergipe aponta para o fortalecimento do sindicato 1-angelae anima os dirigentes com a possibilidade visível de oxigenação. De 2001 para cá o salto foi de mais de 13 mil filiados, o que totaliza os 24.763 sindicalizados da categoria.

Campanha pelo PISO

Pauta de diversas lutas, a campanha pelo Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) não poderia deixar de passar pelo balanço das políticas sindicais. A luta pela implantação do piso repercutiu de distintas formas nos municípios sergipanos, traçando caminhos de negociações singulares.

Para o presidente do SINTESE é necessário que os educadores avaliem as perdas e os ganhos com a integralização do piso, pois em muitos casos como ocorrido em Estância e Neópolis, para receber o valor de R$ 1.024 os professores tiveram cortados regências e triênios de seus salários. Se a percepção for de perda, o caminho a ser seguido é de permanência nas negociações, “peitando e implantando o piso dentro do conceito da lei. Piso é vencimento”, disse o deputado federal Iran Barbosa (PT) em apoio à luta dos profissionais do magistério.

Carregadoras de Sonhos – Calendário de exibição

Depois de exibições em Aracaju e Brasília, o longa-metragem que trata do cotidiano de 4 mulheres guerreiras, primeiro financiado por um sindicato no país, será exibido no dia 20 de julho no Teatro Castro Alves – Salvador/BA e em 20 de outubro na Unicamp, passando posteriormente por Porto Alegre, Rio de Janeiro e Juiz de Fora.

No interior sergipano a agenda do filme das educadoras e carregadoras de sonhos começará em junho. A ordem de exibição sorteada durante o encontro do balanço do SINTESE inicia pelo Vale do Cotinguiba, seguido pelo Alto Sertão, região Centro-sul, região Metropolitana, Agreste, Sul e termina com as regiões do Baixo do São Francisco I e II, respectivamente.