Eleições do SINTESE: fortalecimento da luta do magistério

67

Entre os dias 24 e 28 de Maio ocorrerão as eleições do SINTESE. Maior sindicato do Estado e referência de luta para outras categorias, o SINTESE tem sido protagonista de muitas lutas e conquistas. A forma de fazer luta idealizada pelas companheiras Ana Lúcia, Ângela, Sônia, Ubaldina,
Alexandrina entre outras companheiras e companheiros que ganharam as eleições do SINTESE em 1992 mudou a história do movimento sindical sergipano.

As professoras lutadoras promoveram um movimento de oposição que conquistou o apoio da categoria e resultou na vitória eleitoral. A partir daí implementaram um modelo de fazer luta que priorizava a autonomia sindical perante governos e partidos políticos. Assim, o SINTESE adotou como estratégia para conquistar direitos dos professores e manter os direitos existentes a negociação com os gestores públicos combinada com atividades permanente de rua.

A necessidade de manter a categoria constantemente mobilizada foi uma tática muito bem sucedida. Entretanto, essa mobilização só teria êxito se viesse combinada com uma política de formação política sindical e pedagógica pensada a partir dos ensinamentos de Paulo Freire. Essa política, foi muito bem implementada pelas companheiras lutadoras. O SINTESE com essa metodologia de fazer luta cresce de um universo de 3.500 (três mil e quinhentos) filiados para atuais quase 25.000 (vinte e cinco mil) filiados. Esse crescimento tem sido ascendente, pois é através da credibilidade que a entidade conquistou na categoria e, conseqüentemente, na sociedade que o fez tão forte.

As eleições do SINTESE significam a confirmação dessa forma de fazer luta que tem dado certo. Sergipe é o Estado que a luta dos professores conquistaram Planos de Carreira, Estatuto do magistério e Piso Salarial. Nesse processo, o Estado possui uma das melhores carga horária do Brasil: 62,5% em sala de aula, manteve Regência de Classe e outras vantagens quando na maioria dos Estados já não existe mais, pois a debate do piso está transformando o salário dos professores em subsídio.

A forma dura e intransigente de lutar foi decisivo para que os educadores sergipanos mantivessem a carreira com a manutenção de vantagens. Portanto, votar na Chapa do SINTESE é confirmar a necessidade de continuarmos lutando para conquistarmos novos direitos, bem como ampliar os já
existentes. Assim, gritaremos cada vez mais forte nos quatro canto do Estado:

Professor Unido Jamais será vencido!
Professor na rua, a luta continua!

*Professor de Geografia da Escola  Estadual AlceuAmoroso Lima e da E.M.E.F. Presidente Tancredo Neves, Diretor de Comunicação do SINTESE e Secretário de Juventude da CUT Sergipe.