Professores de Maruim e Estância paralisam as atividades

42

A sexta-feira será marcada por paralisações e atos públicos em dois municípios: Estância e Maruim.
Em Estância os educadores realizam a partir das oito manhã um grande arraial na praça Barão do Rio Branco com direito a trio de forró pé de serra. Os professores denunciam o autoritarismo e a perseguição do prefeito Ivan Leite, com o magistério, que chegou ao ápice com a exclusão da regência de classe.

“Estância já foi um dos municípios que melhor pagava os professores, atualmente a política desenvolvida pela atual administração é de desestímulo e perseguição aos educadores”, disse Ivonia Pereira, coordenadora da sub-sede Sul do SINTESE.
O magistério denuncia também as péssimas condições físicas dos estabelecimentos de ensino e do transporte escolar.

Maruim
Na mesma manhã os educadores da rede municipal de Maruim se concentram na praça da Boa Hora e protestam pelas péssimas condições de trabalho as quais os trabalhadores da educação estão sendo submetidos e também a perseguição.

A administração de Maruim desrespeita a legislação trabalhista ao impedir a entrada dos dirigentes do SINTESE nas escolas. Há denúncias também de que professores em estágio probatório estão sendo ameaçados porque participam ativamente do movimento sindical. “O tempo da Ditadura já passou, os trabalhadores têm o direito de participar do movimento sindical, é inadmissível que um gestor público age para impedir isso”, disse Lúcia Barroso, diretora do departamento de Bases Municipais.