Carregadoras de Sonhos é lançado em Salvador

114

Na última terça-feira, 20, o Teatro Castro Alves em Salvador foi palco para o lançamento do filme Carregadoras de Sonhos. Ele foi o destaque de uma programação voltada

{joomplu:2979}
{joomplu:2998}
{joomplu:3023}
{joomplu:3044}
Veja mais fotos

para a Educação brasileira, na mesma noite foi lançado o livro “O Trabalho de Professores na Educação Básica da Bahia”.

O filme emocionou os expectadores que elogiaram a iniciativa do SINTESE em realizar o filme e também do SINPRO/BA em, além de realizar o estudo, ter trazido o filme para Salvador. “o mais importante de tudo isso é o movimento sindical ter produções como essa, que mostram a dura realidade do trabalhador da Educação de forma contundente”, disse Rita Fernandes, professora da Universidade Federal da Bahia.

“O filme Carregadoras de Sonhos é um projeto do SINTESE que tem como meta aproximar, através da linguagem do cinema, as pessoas da realidade da Educação, sensibilizar a sociedade para que a escola mude e seja de fato um local onde os filhos e filhas dos trabalhadores sejam acolhidos”, disse Ângela Melo, presidenta do SINTESE.

A emoção também tomou conta de Rose, Maraísa, Edielma e Marta, as protagonistas do filme, que acompanharam o lançamento na capital baiana. Para elas o filme já teve outro sabor. “O que podemos dizer para quem assistiu ao filme é que não podemos desistir e sempre acreditar no que possamos fazer para melhorar o mundo, por isso estamos aqui e somos carregadoras de sonhos”, disse Rose Nunes

Para Deivisson Fiúza, diretor do filme, um dos objetivos do filme é que as reflexões provocadas por ele não fiquem confinadas às portas dos teatros e salas de cinema. “É preciso que tudo isso mostrado no filme ultrapasse essas portas e sensibilize mais pessoas, para que este quadro seja mudado”.

Livro

O livro, produzido pela  Fundacentro, juntamente com o Sindicato dos Professores da Bahia (Sinpro/BA) e o Ministério da Educação (MEC) é autoria de Leda Leal Ferreira, médica e pesquisadora da Fundacentro/SP, Tânia Maria de Araújo, psicóloga e professora do Departamento de Saúde da Universidade Estadual de Feira de Santana na Bahia e José Hélio Lopes Batista, psicólogo e tecnologista da Fundacentro em Pernambuco, a publicação aborda o trabalho de professores que lecionam na Educação Básica de escolas públicas e privadas dos municípios de Salvador e de Vitória da Conquista, na Bahia.

Para Leda Leal, o livro e o filme são oportunidade de mostrar como os trabalhadores da Educação são injustamente condenados pelos problemas da área. “Os dois trabalhos precisam ser conhecidos pelo maior número possível de pessoas para que seja debatido e discutido no sentido de melhorar a realidade apresentada”.

SINTESE Cultural

Os participantes do Reisado do SINTESE recepcionaram os expectadores do filme e o Coral emocionou a platéia, que aplaudiu de pé a apresentação dos professores.