Chapa “Resistência e luta, SEMPRE!” toma posse na região centro-sul

43

A cultura popular representada pela quadrilha Pegada Quente de Riachão do Dantas deu o tom da festa de posse da nova Coordenação Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTESE) na noite do último dia 22, em Lagarto. Estiveram presentes na cerimônia presidenta e vice-presidenta do sindicato, Ângela Melo e Lúcia Barroso, entre outras lideranças, além dos deputados estadual e federal, Ana Lúcia e Iran Barbosa.

A presidente do sindicato do magistério sergipano aproveitou a ocasião para reafirmar o compromisso com a luta por uma educação de qualidade para os filhas e filhos da classe trabalhadora. “Nossa luta é por dignidade, valorização profissional e salarial. Temos a missão de cada vez mais unir, formar e trabalhar para que o SINTESE permaneça forte”, disse.

Metas e os novos desafios

Josefa Silveira (Tina) após passar o cargo de coordenação geral para o companheiro de lutas Estéfane Santos, comentou sobre os principais pontos a serem discutidos e negociados nos próximos anos de gestão: “ainda teremos muito trabalho na implementação do piso salarial nacional, pois encontramos dificuldades para negociar com algumas prefeituras; outra meta é o curso de formação política, assim estaremos organizados para as lutas”, finaliza.

O professor Estefane Santos ressaltou como vantagens da gestão que acabara de ser empossada o fato de o trabalho ser em conjunto. O que, segundo ele, é fruto de gestões anteriores e deve permanecer como norte da gestão que encabeça.

O coordenador rememorou algumas conquistas dos educadores, como cursos de capacitação para motoristas de transportes escolares e merendeiras, aprovados pela prefeitura de Tobias Barreto depois de muita insistência do sindicato. E falou dos planos da nova gestão: “A luta é para que as conquistas sejam uniformes. Não dá para aceitar a disparidade que existe entre as cidades da região. Tobias tem o piso implantado e regência de classe assegurada, enquanto Poço Verde permanece sem integração do piso e sem regência”, disse Estéfane, confirmando a importância da integração e participação de todos nas lutas e mobilizações sindicais.

A deputada estadual, Ana Lúcia (PT), quando convidada a falar, fez destaque ao “papel pedagógico de diálogo com a sociedade” e foi enfática: “Não haverá mudanças sem priorizar a educação”.