Boquim: prefeito contrata seguranças para impedir protesto de educadores

56
protestoboquim

protestoboquimNuma atitude que lembra os tempos da Ditadura Militar os professores da rede municipal de Boquim foram impedidos de usar um carro alegórico para o protesto durante o final do desfile cívico por seguranças contratados pela prefeitura. Os seguranças usaram da intimidação e a ameaçar fisicamente os professores que buscavam entrar na avenida e darem prosseguimento ao protesto.

“O prefeito Pedro Barbosa agiu com truculência com os professores, a mando dele seguranças impediram o carro alegórico do SINTESE e ameaçaram professores. Isso é inadimissível”, disse a presidenta Ângela Melo.

Apesar de impedirem a entrada do carro, até uma ambulância foi usada , os professores entraram na avenida e fizeram o protesto. Eles exigem do prefeito a apresentação de uma proposta para a implantação do Piso Salarial. Desde janeiro que a comissão de negociação tenta uma saída para que o piso seja efeticamente implantado na rede municipal de Boquim.

Apesar de dizer que cumpre a lei do piso, o prefeito de Boquim só deu um abono para os professores com nível médio que recebiam menos de R$1.024,67. “Ele usou a mesma forma errada que o governo do Estado usou em 2009 para implantar o piso. Com isso a maioria dos professores está excluída do processo”, disse José de Jesus, delegado sindical do SINTESE no município.