Justiça quer saber por que Itabaianinha não paga o Piso

55

A desembargadora Geni Silveira Shuster deu um prazo de 10 dias para que o prefeito de Itabaianinha explique porque não está pagando o Piso Salarial dos professores. A resposta concedida pela Justiça ao Mandato de Segurança impetrado pelo Sintese acendeu a esperança dos educadores.

A presidente do Sintese, professora Ângela Melo, fala que o cumprimento da Lei do Piso Nacional ainda encontra obstáculos que devem ser vencidos com o apoio da Justiça para que a lei seja exercida. “É muito importante para o movimento de Itabaianinha esta posição da desembargadora, pois o Piso é uma lei nova, e tudo que é novo causa estranheza e alguns problemas até a sua devida adaptação. E ao mesmo tempo o Piso dos professores é resultado de uma luta de décadas do movimento. Por isso é crucial que a Justiça veja as conquistas do Magistério como um direito para ser posto em prática”, comemora a professora Ângela.

A professora aponta que a decisão pode ajudar na negociação em todo o Estado. “Isso nos dá subsídio, inclusive, para discutirmos o Piso com outros municípios”, acrescenta Ângela.