Exposição condensa a pluralidade de Fernando Pessoa

60

Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro. O poeta Fernando Pessoa conseguiu como ninguém assumir diferentes personalidades com pena e papel na mão. As muitas facetas do português são o tema da exposição “Fernando Pessoa, plural como o universo”, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.


A mostra começa com uma espécie de reunião de cápsulas do tempo como metáfora para as casas de cada heterônimo. A interatividade, característica intrínseca do Museu, coloca o público em contato com os principais texto do autor – o primeiro português a integrar uma exposição na instituição.

Com curadoria de Carlos Felipe Moisés e Richard Zenith, “Fernando Pessoa, plural como o universo” pretende aproximar os versos através de uma linguagem acessível. O ambiente é assinado pelo cenógrafo Helio Eichbauer e foi inspirado no livro “Mensagem”, publicado ainda em vida por Pessoa, tendo o mar (os variados tons de azul) e as grandes conquistas de Portugal como principais temas.

As diferentes personas do poeta são retratadas em um labirinto poético, com trechos de poesias e retratos. Antes de ir embora, o público percorre ainda uma cronologia detalhada da vida e obra do poeta com imagens da fotobiografia recém-lançada. produzida por Richard Zenith. Programão de férias, sem dúvida.

“Fernando Pessoa, plural como o universo”
Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz, s/n, Centro, São Paulo
Tel.: (11) 3326-0775
De terça a domingo, das 10h às 18h
Até 30 de janeiro