MMM em Sergipe inicia organização para o Dia Internacional da Mulher

49

A Marcha Mundial das Mulheres em Sergipe (MMM/SE) esteve reunida ontem, terça-feira, 01 de fevereiro, para iniciar a construção das atividades em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (08 de Março). O encontro ocorreu no auditório da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE) e contou com a presença das entidades que compõe a MMM em Sergipe, como a própria CUT/SE, o Centro Feminista 08 de Março (CF8), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Sergipe (FETASE), o Movimento da Mulher Trabalhadora Rural de Sergipe (MMTR/SE), o Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), a Casa da Doméstica, entre outros sindicatos.

De acordo com a MMM em Sergipe, a proposta é de se realizar uma semana de atividades que contemple debates, discussões, atividades culturais e reflexivas, além de um Ato de Encerramento. “Nós estamos investindo para que a Marcha das Margaridas (Agosto/2011 em Brasília) seja a grande mobilizadora das mulheres sergipanas este ano. Por isso, as atividades em comemoração ao Dia Internacional da Mulher serão de menores proporções, e mais focadas nas discussões e reflexões coletivas”, afirmou Maria da Conceição Branco, secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/SE.

Para a organização do Dia Internacional da Mulher, a MMM em Sergipe também irá contar com a parceria da Universidade Tiradentes (UNIT). Segundo Conceição Branco, a presença da UNIT irá ajudar para que o debate sobre gênero chegue até os estudantes universitários. “Será muito proveitoso ter as/os estudantes, principalmente dos cursos de Serviço Social, Comunicação Social e Direito, inseridos nas atividades de 08 de Março. Além disso, essa parceria vai proporcionar a ampliação do nosso debate, que irá atingir cinco cidades onde existem campus da UNIT”, esclareceu Conceição.

Durante a reunião foi encaminhado que as comemorações do Dia Internacional da Mulher em 2001 terá como tema “Mulheres em Movimento: Construindo Igualdade de Direitos”. As atividades terão início após o Carnaval, no dia 11 de março, com o projeto CineCUT especial Dia da Mulher. No dia 15 de março serão realizados os seminários nos campus da UNIT em Nossa Senhora da Glória, Propriá, Estância, Itabaiana e Aracaju. Já no dia 18, a MMM em Sergipe irá promover um Ato de Encerramento no Calçadão da Rua João Pessoa, com a presença de entidades do movimento social e sindical, estudantes, professores e da imprensa sergipana.

Mulheres em movimento: Construindo Igualdade de Direitos

O encontro desta terça-feira, 01, serviu para a MMM em Sergipe retomar a articulação do movimento feminista no Estado, e ampliar o debate e as parcerias. De acordo com a professora da UNIT, Itanamara Cavalcante, o Estado precisa investir nos equipamentos sociais que auxiliem a luta pela igualdade de direitos.

“Existem muitas áreas que necessitam de investimentos em equipamentos sociais voltadas para a luta das mulheres por igualdade. Com relação à violência contra a mulher, o Estado precisa investir nos Centros de Referência da Mulher, nas Delegacias da Mulher e estruturar as promotorias. Com relação às políticas públicas para as mulheres, na área da saúde, precisamos que, de fato, o Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher funcione dentro dos municípios, oferecendo o acompanhamento devido. Na questão da educação, precisamos inserir dentro das discussões escolares o debate sobre a questão do gênero, falar da importância do papel da mulher, criar programas e projetos que frisem a questão da produção nos municípios, viabilizando a qualificação, a mão de obra das mulheres, as cooperativas, e tudo o que possa fortalecer a autonomia pessoal, financeira e política dessas mulheres. Isso não acontece, e nós não percebemos a existência dessa rede de proteção para que mulher conquiste essa autonomia econômica, social e política”, destacou Itanamara.

Ainda segundo a professora, a principal dificuldade que as mulheres enfrentam para alcançar autonomia é a própria cultura machista que impera na nossa sociedade, e que está refletida no Estado. “Mesmo no os municípios onde são criadas as Coordenadorias de Políticas Públicas para as Mulheres, essas coordenadorias só são criadas por conta da pauta do Governo Federal e para contemplar alguém politicamente no município. Essas secretarias e coordenadorias para as mulheres não dotam de orçamento, não criam uma legislação específica, não criam conselho municipais dos direitos das mulheres, e por isso acabam sendo apenas uma figuração política. Não existe ainda a cultura do estado democrático, que de fato pregue pela igualdade, então essa é a grande dificuldade do movimento hoje em conseguir dialogar com a administração pública”, explicou a professora.

Além das comemorações do Dia Internacional da Mulher (08 de Março), a MMM em Sergipe programou outras ações para 2011. A que se destaca é a Marcha das Margaridas 2011, considerada uma das principais mobilizações do sindicalismo rural brasileiro e do movimento das mulheres. A Marcha será realizada nos dias 16 e 17 de agosto de 2011, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Com o lema “2011 razões para marchar por desenvolvimento sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade”, a Marcha espera reunir 100 mil mulheres trabalhadoras rurais das diferentes regiões brasileiras. Sergipe, através da coordenação da MMM no Estado, pretende levar aproximadamente 15 mil sergipanas para o evento.