Nota de Solidariedade a Ana Lúcia e as lideranças ameçadas de morte

64
Ana Lucia

Ana Lucia

A deputada estadual Ana Lucia Menezes PT/ SE, ex-presidente do SINTESE e ex-dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE, comunicou à sociedade sergipana, em discurso na Assembléia Legislativa, acompanhado por representantes do SINTESE, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Igreja Católica, que sofreu ameaças de morte, juntamente com mais oito lideranças, por causa de sua luta em favor do movimento quilombola na região do Baixo São Francisco, e de questões ambientais do Estado de Sergipe.

Com mais de 30 anos de luta junto ao movimento social, é a primeira vez que a deputada é ameaçada de morte. Há depoimento de um fazendeiro no Ministério Público Federal que se o problema não fosse resolvido, poderia haver derramamento de sangue. Chegou à deputada também a informação de que agentes de empresários da região tinham dito que a Deputada Ana Lúcia é muito vulnerável, pois abre várias frentes de luta, fato que se tornaria mais difícil a elucidação de um possível crime.

As comunidades quilombolas com terreno já conquistado na região do Baixo São Francisco são Pontal dos Crioulos, no município de Amparo do São Francisco; Caraíba, no município de Canhoba; Ladeiras, no município de Japoatã e Brejão dos Negros, no município de Brejo Grande.

O SINTESE vem a público manifestar solidariedade a mulher, professora, e deputada Ana Lúcia, ao tempo em que solicita ao Governo do Estado de Sergipe, e forças federais, se for o caso, que tomem as providências cabíveis para garantir a segurança da deputada, e a identificação dos que ameaçam a integridade física de todos os que lutam por uma sociedade justa, e pelo direito à terra.