SINTESE reafirma: Estado de SE pode pagar o piso dos professores

38
wallpaper_2011

Divulgados os dados do mês de março da arrecadação do Estado de wallpaper_2011Sergipe só confirmam o que o SINTESE divulgou semana passada. Em matéria publicada dia 24 de março o sindicato contestou a fala do secretário da Fazenda, João Andrade, que em sessão na sala das comissões disse que o Estado de Sergipe não teria dinheiro para pagar a revisão do piso salarial do magistério.

No mês de março comparando com o mesmo período do ano de 2010 (vale ressaltar que o Brasil ainda vivia os resquícios da crise econômica de 2009) a receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – Fundeb teve um aumento de 16,6%.

O Fundo de Participação dos Estados – FPE cresceu 16,92% no mesmo período. De acordo com análise feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos somente com o crescimento registrado em janeiro e fevereiro de 2011 garante que esse fundo terá um crescimento de 6,76% neste ano mesmo que nos demais meses do ano não haja crescimento algum.

Para o SINTESE isso é suficiente para que a revisão do piso salarial do magistério aconteça imediatamente. “Em 2010 que foi um ano muito mais complicado em termos de arrecadação a revisão do piso foi garantida, não há motivo plausível para que o governo demore tanto para enviar a nova tabela para a Assembleia Legislativa”, disse Ângela de Melo, presidenta do SINTESE.

Ela explica também que, ao contrário das declarações feitas pela assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Educação, revisão de piso não é tema para ainda ser debatido pela Mesa de Negociação. A revisão do piso é lei e deve ser cumprida sem demora.