Boquim é o 7º município a negociar a revisão do piso para R$1.187

39

Os vereadores de Boquim aprovaram na manhã desta quarta-feira, 20, a lei que reajusta o piso salarial do magistério para R$1.187 sem alterações na carreira. Para a comissão de negociação do SINTESE no município a atitude da administração foi acertada. “O nosso direito estava garantido e a prefeitura cumpriu a lei”, disse Adilson Ribeiro, delegado sindical.

Ainda falta

O piso já foi reajustado, mas o restante da pauta ainda não foi negociado. A audiência que o SINTESE tinha com a prefeitura foi suspensa por motivo de saúde do prefeito e não foi marcada nova data.

Os educadores querem discutir a ilegalidade da lei 556/2008 que limita a mudança de nível superior para a pós-graduação (conhecidos como nível II e nível III). “De 2009 para 2010 mais de 20 professores já requereram a mudança de nível e até agora não tiveram o seu direito atendido”, explicou Adilson.

A falta de reformas e de uma política séria e eficiente de manutenção das escolas também faz parte da pauta de reivindicação dos professores. “Ainda falta avançar na aplicação da lei de Gestão Democrática aprovada desde 2008 e os Projetos Políticos Pedagógicos – PPPs”, lembra Jonas Vidal, delegado adjunto.

Os professores ainda esperam que a Gestão Democrática seja novamente discutida com a comunidade escolar, para que todos compreendam o papel importante que alunos, pais, professores têm na gestão da escola. “Esperamos que em maio possamos sentar com prefeito e a secretária de educação para discutir as resoluções destes problemas além de outros que já identificamos”, afirma o professor José de Jesus.

Daqui a pouco às 16h acontecerá uma Assembléia com os professores no auditório Benjamin F. Fontes.

Pedrinhas

A comissão de negociação do SINTESE no município terá audiência na próxima terça, 26, às 9h. Na pauta: revisão do piso salarial.