A estranha e cômica posição de Venâncio

41

O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP), líder da oposição na Assembleia Legislativa, tem sido no último mês o maior oponente da luta dos trabalhadores pela revisão do Piso Salarial Profissional Nacional, e do SINTESE, por tabela, como organizador do movimento.

O líder da oposição que, costumeiramente, faz duras críticas ao Governo quando há problemas na Saúde e Segurança Públicas. Estranhamente, quando a questão é Educação, Venâncio desfere críticas ao SINTESE, ao invés de fazê-las ao Governo que, até o momento, não cumpriu a lei do piso no capítulo da revisão.

No dia 27 /04, um dia antes da Grande Marcha que 6 mil professores realizaram nas ruas de Aracaju, o deputado Venâncio disse em um programa de rádio matinal que os professores não tinham que fazer luta, pois a saída era a justiça. Ou seja, os educadores tinham que ficar em casa, e aguardar decisão judicial. Estranho! No mínimo um deputado de oposição queria ver os trabalhadores reivindicando a um governo que ele diz se opor. E mais, o deputado disse também que o SINTESE faria uma “marchinha”. Com o sucesso da Marcha, alguns professores em resposta ao tom de pilhéria e piada que Venâncio costuma rechear suas críticas, fizeram a seguinte marchinha “ Venâncio fala pra mim, o que é que o Senhor tem contra Zé Lezin”..

“O Deputado Venâncio Fonseca deve ter trauma contra algum professor ou raiva pela luta que o SINTESE vem travando com o Governo e com os diversos municípios que não pagam piso, e não cumprem a lei. Essa história de Deputado da oposição não querer que os trabalhadores lutem, é uma verdadeira piada, além de estranha, digna de um bom comediante” . Afirma a presidenta do SINTESE, Ângela Melo.

No dia 11/05, quarta-feira passada, ocorreu uma paralisação nacional, e os professores de Sergipe fizeram uma grande manifestação em frente ao Palácio de Despachos, regada a uma feijoada coletiva. De forma inusitada, mais uma vez, Venâncio foi aos meios de comunicação fazer críticas à direção do SINTESE e à Deputada Ana Lúcia.

“Nenhum sindicato no Brasil este ano tem empenhado tanta luta pela revisão do piso como o nosso. Fizemos uma grande marcha, um grande ato em frente ao Palácio de Despachos, temos adotado uma grande estratégia de cobrança em todos os meios de comunicação. A população tem acompanhado as vinhetas de televisão e rádio, os outdoors, o busdoor, o pisômetro em um dos Shoppings Centers, cartazes, panfletos, e muita garra dos professores, que tem comparado essas investidas de Venâncio à comédias de fazer inveja a Zé Lezin”, afirma o Diretor de Comunicação e ex-presidente Joel Almeida.

O diretor de Comunicação do SINTESE lembra que na terça-feira, dia 17, às 9h os professores da rede estadual terão assembleia geral no Instituto Histórico e Geográfico. Na pauta: informes e avaliação da audiência com o governador Marcelo Déda e encaminhamentos de luta.

Foto: Maria Odília