Professores de quatro municípios paralisam as atividades

48

A falta de um canal de negociação e apresentação de proposta para revisão do piso com alteração drástica de carreira são os motivos para que os professores das redes municipais de Pedra Mole, São Domingos, Cedro de São João e Japoatã interrompam suas atividades.

São Domingos

Os professores realizam nesta sexta uma via crúcis pelas ruas do município a partir das 19h e uma paralisação de advertência no dia 25 de maio.

A administração municipal até agora não apresentou proposta de revisão do piso e não quer receber a comissão de negociação.

Cedro de São João

A falta de diálogo com os professores por parte do chefe do executivo é o motivo principal da greve por tempo indeterminado deliberada pelos professores da rede municipal a partir do dia 25 de maio.

De acordo com a comissão de negociação já foram feitas várias tentativas oficiais de marcar audiências para discutir a revisão do piso e também outras questões educacionais e nenhuma das solicitações foram atendidas pelo prefeito.

Japoatã

Mais um município onde os gestores públicos romperam a negociação com o sindicato. Antes mesmo da decisão do Supremo Tribunal Federal de considerar piso salarial como vencimento inicial a administração de Telmo Guimarães já tinha desmarcado várias audiências com os professores.

A decisão do STF é clara, piso é vencimento inicial e não remuneração e independe das demais vantagens e gratificações (direitos adquiridos), por isso não devem ser reduzidas para que a revisão seja efetivada. Por essa falta de diálogo os educadores paralisam as atividades no dia 24 de maio.

Monte Alegre

Os professores deliberaram em assembleia realizada dia 12 de maio uma greve por tempo indeterminado para iniciar nesta sexta-feira, mas na tarde de ontem (19) o prefeito entrou em contato com a comissão de negociação e garantiu que apresentará uma proposta onde os níveis de carreira serão mantidos. A partir daí os educadores se reuniram em assembleia e decidiram suspender a greve.