Professores mantêm greve e realizam vigília na ALESE

35
DSC08494

Os professores da rede estadual decidiram em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, no Instituto Histórico e Geográfico manter a greve por tempo indeterminado.

Para a categoria o governo só apresentou propostas que: ou dividem a categoria (ao estabelecer revisão diferenciada para nível I e nível II) ou destroem a carreira (extinção do Nível I do quadro permanente).

A categoria decidiu também realizar atos públicos nos próximos dias. Amanhã, 26, os professores voltam a fazer vigília na Assembleia Legislativa a partir das 8h. Na sexta, 27, ato público no calçadão da rua João Pessoa. Na segunda-feira, 30, a partir das 14h o magistério estadual volta a fazer vigília na Assembleia Legislativa. Terça-feira, dia 31, nova assembleia às 9h no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe.

Ao contrário do que afirma a propaganda governamental a proposta do governo não contempla a correção do piso nos moldes da Leia 11.738 (regulamenta piso nacional) e da Lei Complementar 61/2001 (que regulamenta o Plano de Carreira), pois em nenhum artigo das duas leis apresenta que a revisão anual deve ser feita de forma parcelada.

“A categoria do magistério é única e queremos reajuste para todos com respeito a carreira”, disse Ângela Melo, presidenta do SINTESE. A direção do sindicato deixa claro que os professores estão abertos a negociação.

Mediação

Antes da assembleia parte da direção do SINTESE esteve na Assembleia Legislativa e conversou com o deputado Francisco Gualberto, líder do governo. Na presença da também deputada Ana Lúcia ele se comprometeu a intermediar as negociações e disse também que entraria em contato com o secretário da Fazenda e também com o governador.