Professores de Salgado e Neópolis paralisam atividades

37
marcha28 (110)

Os educadores das redes municipais de Salgado e Neópolis paralisam as marcha28 (110)atividades, pois os prefeitos até agora não apresentaram propostas para a revisão do piso (que está em vigor desde janeiro) e também pelas péssimas condições de trabalho.

Em Salgado, no dia 20, os professores realizam ato público às 15h na feirinha do bairro Estação. Na quinta, 21, a partir das 9h os educadores fazem vigília em frente a Secretaria Municipal de Educação, em seguida realiza assembleia.

Já em Neópolis os professores realizam ato público em frente a prefeitura no dia 21, a partir das 8h. Dia 22 eles realizarão uma via crúcis com concentração às 18h30 e dia 25 assembléia no Centro de Educação Profissional Agonalto Pacheco às 17h.

Salgado

Em Salgado os professores não tiveram revisão do piso em 2010, ou seja, o vencimento inicial ainda está na casa dos R$950. Após várias tentativas de negociação a administração da prefeita Janete Alves uma audiência tinha sido marcada para o dia 07 de julho, mas a audiência foi desmarcada sem nenhum motivo plausível.

A administração tinha se comprometido eu audiência realizada anteriormente a disponibilizar as folhas de pagamento do mês de junho para que o SINTESE fizesse análise e também apresentasse uma proposta, mas também não cumpriu. “A situação está difícil, a administração municipal promete que vai encaminhar nossas propostas, mas fica tudo no discurso, não há ação efetiva”, disse Ginaldo Francisco dos Santos, coordenador da sub-sede Centro-Sul do SINTESE e professor de Salgado. As escolas em Salgado precisam urgentemente de reformas, falta material didático.

Neópolis

Em Neópolis a situação também é difícil. Lá sequer o piso foi implantado. O vencimento inicial dos professores ainda está no patamar dos dois terços de R$950. E para deixar a situação pior, o município apresentou proposta de atualização do piso, reduzindo drasticamente os índices das gratificações.