Professores debatem Avaliação de Desempenho na Rede Estadual

41
Estudo em Neópolis

Estudo em Neópolis

O SINTESE vem realizando debates, por todo Estado, sobre o “índice guia”, instrumento utilizado pelo Governo Déda para avaliar o desempenho dos professores da Rede Estadual. Os debates iniciaram no dia 01 de Junho quando foi realizado o primeiro estudo coletivo no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe com grande participação dos professores. Nesse encontro, os professores presentes construíram um documento que foi apresentado e aprovado em Assembléia da categoria realizada no dia 03 de Junho.

 

A partir daí, os debates multiplicaram-se pelo Estado: Estância, Itabaiana, Tobias Barreto, Aracaju, Simão Dias, Ribeirópolis, Neópolis entre outros municípios. Os professores da Rede Estadual estão saindo dos encontros revoltados diante do pacote de maldades presente no “índice guia” de avaliação de desempenho do governo Déda. A avaliação visa oficializar o assédio moral de professores e alunos da Rede Estadual.

 

Para assediar os alunos, o Governo Déda quer obrigar os “professores a identificarem em sala de aula os alunos ‘avançados’ e os alunos ‘atrasados’. Essa proposta de tratamento diferenciado para esses dois grupos de alunos. Essa proposta é preconceituosa, excludente e constrangedora, além disso, os alunos rotulados de ‘avançados’ podem fazer reforço dos ‘atrasados’.

 

Para assediar os professores o Governo Déda quer classificar “professores de excelência” de professores rotulados de “insuficientes” dentro das escolas. E ainda, os “professores de excelência” podem realizar assessoramento nas turmas dos professores “insuficientes”. Os professores de “excelência”, para manter essa classificação, serão obrigados a fazer reforço individual aos alunos no turno contrário impedindo-os de terem dois vínculos.

 

Questões graves estão postas no “índice guia” como a obrigação das escolas estaduais fazerem parcerias com empresas privadas. Essas empresas, com isso, ficarão livre para indicarem um gerente que irá intervir nas escolas, perseguindo os professores. Isso significa que o sucesso ou o fracasso da escola é única e exclusiva responsabilidade da escola: equipe diretiva e professores, caso não façam parcerias com as empresas. Essa é uma clara demonstração que o Governo Déda não quer mas assumir a manutenção das escolas estaduais.

 

Os professores estão revoltados com essa avaliação do Governo Déda e estão fazendo o debate com os colegas em todas as escolas estaduais, inclusive reunidos alunos e pais para explicar como o Governo quer assediar os alunos. A resistência de professores, alunos, pais e mães é fundamental para impedir que o Governo queira acabar com autonomia dos professores e constranger os alunos.


Novos debates


Os professores que ainda não participaram dessa discussão e não conhecem o “índice guia” de avaliação de desempenho do Governo Déda devem entrar em contato com a direção do SINTESE ou Coordenação das Sub sedes regionais para agendar as discussões em seu município ou sua escola. “A resistência dos professores das escolas estaduais, juntamente com pais e alunos, é crucial para impedimos a concretização dessa maldade que o Governo está tentando impor nas escolas de Sergipe”, afirmou o diretor da Base Estadual Roberto Silva dos Santos.