Professores de Salgado realizam o ato “Melancia da Discórdia”

31
melancia_2

Os professores de Salgado paralisaram as atividades dias 19, 20 e melancia_222 de julho na busca por uma via de negociação para a revisão do piso. O magistério do município tem um dos piores salários do Estado.

Como forma de protesto eles instalaram na feira livre do bairro Estação a barraca da “Melancia da Discórdia”. Na barraca os professores distribuíram pedaços de melancia. O ato simbolizou a indignação dos professores com as denúncias de indícios de superfaturamento na compra de alimentação escolar feitas pelo Conselho Municipal de Alimentação Escolar. A fruta foi escolhida porque de acordo com as notas fiscais analisadas pelo Conselho de Alimentação Escolar constatou que o quilo foi comprado a R$5,60.

A secretaria municipal de Educação vem empurrando a  melancia_2negociação para a revisão do piso salarial. Várias audiências foram desmarcadas sem motivo aparente. “A situação é caótica na educação pública de Salgado, os professores estão sem a revisão do piso, as escolas precisam urgentemente de reformas e ainda há as denúncias de indícios de superfaturamento na compra da alimentação dos alunos”, disse Ginaldo Francisco dos Santos, coordenador da sub-sede Centro-Sul e professor do município.

Superfaturamento

O Conselho de Alimentação Escolar do município de Salgado protocolou nos diversos órgãos fiscalizadores denúncias com indícios de superfaturamento na compra de gêneros alimentícios para as unidades de ensino da rede municipal e também problemas nas notas fiscais.

Carnes de frango e bovina com preços acima do mercado. Foram encontradas notas fiscais atestando que o quilo da carne bovina foi comprado a R$19,80, salsicha a R$6,40, óleo vegetal a R$4,50. O litro do leite foi comprado a R$2,45. O mais surpreendente foi encontrar o quilo da melancia por R$5,60.

Fruta que em qualquer supermercado e feira livre é encontrada melancia_2a menos de R$1 o quilo para consumo individual. Para grande consumo como é o caso da alimentação escolar o preço deveria ser inferior.

A nota fiscal nº 5109, de 11 de março de 2011, apresenta o item frango a um valor de R$7,50, pesquisa de preço realizada pelo conselho encontrou o mesmo item no preço máximo de R$5,00.

Rasuras

As notas fiscais apresentam rasuras, várias estão apagadas. Isso sem falar em algumas notas ainda manuscritas quando a empresa já conta com notas eletrônicas.

Algumas notas apresentam somente as medidas dos itens em “fardos” ou “caixa” impossibilitando a análise do valor individual do produto. As guias de remessa de alimentos entregues nas escolas apresentam rasuras ou informam recebimentos de itens diferentes dos que foram enviados pela administração.

Há também evidências de descumprimento do cardápio, pois foi comprado café para a alimentação do Ensino Fundamental quando este item só está previsto para alunos da Educação de Jovens e Adultos.