CERES faz balanço das lutas nas redes e pela implantação da gestão democrática

78

O segundo dia de trabalhos do Conselho de Representantes do SINTESE – CERES iniciou com um balanço das lutas da rede estadual e redes municipais e implementação da Gestão Democrática.

Os conselheiros também definiram as prioridades para os temas no último quadrimestre de 2011 e os primeiros meses de 2012.

A presidenta do SINTESE, Ângela Melo começou lembrando que nas negociações para o reajuste do piso em 2011 na rede estadual o governo se comprometeu a enviar o projeto da implantação da gestão democrática em junho e apesar da proposta já ter sido discutida com o governo, numa das últimas audiências com o sindicato o governador apresenta um elemento novo, a eleição resultaria numa lista tríplice e diretor seria escolhido pelo governo. “Não concordamos com essa proposta, pois isso não está na essência da Gestão Democrática”, disse Ângela.

Índice-Guia

Foi lembrado também que no mesmo momento o governo começa a apresentar para as escolas o “Índice-Guia para Avaliação de Desempenho” e o sindicato compreende que este projeto inviabiliza a Gestão Democrática da forma que os professores almejam.

O SINTESE elaborou documentos tanto sobre a Gestão Democrática quanto sobre a Avaliação de Desempenho apresentando a posição do sindicato e as propostas dos professores nas duas questões.

O sindicato tem feito debates nas escolas tanto de Aracaju quanto do interior para que os professores conheçam a proposta e possam repudiar essa proposta. “Não tememos avaliação de desempenho, mas temos a compreensão que ela deve ser feita da rede de ensino e não das pessoas”, disse Lúcia Barroso, vice-presidenta do SINTESE.

Implantação do Piso

Até o momento 61 municípios implantaram a revisão do piso salarial a maioria sem alteração de carreira, mas há os casos de Estância, que aboliu a regência de classe e praticamente transformou a remuneração dos professores em subsídio, Laranjeiras que adotou uma postura ainda mais drástica que a rede estadual e dividiu o reajuste em sete parcelas e de: Cedro de São João, Nossa Senhora de Lourdes, Campo do Brito, Malhada dos Bois, São Cristóvão, Poço Verde que revisam piso alterando carreira.

Oito municípios Carira, Frei Paulo, Aquidabã, Cumbe, Feira Nova, Nossa Senhora da Glória, Porto da Folha e Japaratuba ainda pagam R$1.024 como vencimento inicial.

Em Santana do São Francisco e General Maynard o vencimento inicial ainda está no patamar de 2009 (R$950). Já os municípios de Neópolis e Salgado os professores ainda estão com 2/3 de R$950 no vencimento inicial. Em Maruim, o plano aprovado recentemente não contempla a implementação do piso.