A diversidade cultural na X Conferência

60

Como já é tradição em todos os eventos do SINTESE o Centro Cultural está funcionando a todo vapor. Vários tipos de artesanato podem ser encontrados.

As artesãs Anair e Lindete, conhecidas Tatá e Linda trouxeram de São Cristóvão para o Centro Cultural do SINTESE na X Conferência as bonecas de pano que representam personagens do folclore sancristovense e sergipano. Tem a dançarina no Lango, da Taeira, o boneco da Chegança, as Caceteiras e tem também as bonecas do Reisado. Há também representação do Boi do Reisado, em tecido e madeira.

A iniciativa de produzir e comercializar as bonecas surgiu após um curso de confecção de bonecas promovido pela Secretaria Municipal de Cultura. A partir daí elas criaram, em maio de 2011, o grupo “Bonequeiras de São Cristóvão” que se reúnem diariamente na Sala dos Saberes, anexo a secretaria municipal de cultura para produzir e comercializar as bonecas e outros tipos de artesanato.

Carmem trouxe para a conferência o seu artesanato com revistas, brincos, colares, porta retratos. Ela trabalha com esse material há seis anos. Além do seu trabalho, Carmem trouxe também as bonecas folclóricas que sua irmã Tânia Aguiar confecciona.

O artesanato sai do ostracismo

Há 15 anos, Sérgio Bastos faz sua arte em ostras, tampinhas de garrafa, pedras. Retratando paisagens da praia e do sertão.

Sérgio é artesão há 35 anos e usar conchas, pedras e tampinhas de garrafas como base para seu trabalho surgiu há 15 anos como “uma pirraça”. “Antes eu fazia bijouterias, mas a indústria chegou e a concorrência ficou mais difícil,então decidi que tinha que ter um trabalho que ninguém mais tinha, algo difícil de copiar. Ao procurar outros materiais para trabalhar e morando na Atalaia Nova as conchas vieram me inspirar”, disse Sérgio.

 

Professores aderem a paralisação nacional dia 26

Os professores das redes estadual e municipais decidiram aderir a paralisação nacional convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE para o dia 26 de outubro.

Dia 26 será realizada em Brasília a marcha nacional “Os 10 mil pelos 10% do PIB” com o objetivo de mobilizar a sociedade na luta para que sejam aplicados na Educação pública 10% do Produto Interno Bruto no Plano Nacional de Educação. Hoje o Brasil investe cerca de 5%.

Não há dúvidas de que o direito à educação depende de mais recursos financeiros e de sua melhor aplicação. A meta de investimento de 10% do PIB visa tirar o atraso no qual a educação pública brasileira se encontra. Atualmente, é notório o quanto os educadores estão desestimulados devido à baixa remuneração e à estrutura precária das escolas.

Dois ônibus sairão de Sergipe na segunda-feira (24) com um grupo de professores para participar da marcha em Brasília. No dia 26 o SINTESE promove Aracaju ato público pelos 10% do PIB.

VEJA MAIS FOTOS DA CONFERÊNCIA