Diomedes Santos da Silva: PRESENTE!

53

Ângela Melo*

A história oficial, invariavelmente, é a historia dos brancos, ricos e poderosos. Os trabalhadores e suas lutas aparecem como coadjuvantes e estigmatizados como massa vencida, derrotada. Para o SINTESE, a história é outra. Os trabalhadores têm papel de protagonistas. Por isso, homens e mulheres que transformaram suas vidas em bandeiras de luta e de esperança para muitos, na construção de um mundo justo e livre, isto é, um mundo socialista, precisam ter seus nomes e suas histórias registradas e um lugar de destaque na vida e no coração desta e das futuras gerações.
É por isso que o SINTESE não mediu esforços e desenvolveu, com a ousadia que lhe é característica, este projeto. Não é apenas uma homenagem ao extraordinário militante social, o professor Diomedes Santos da Silva, mas uma contribuição à memória de um companheiro que foi vital na história dos trabalhadores em Sergipe, especialmente do Magistério. Este projeto, concretizado em um CD e em um encarte com o resumo de sua vida, anuncia que é preciso manter muito bem acesa entre nós a chama da resistência, do compromisso e da luta por uma outra sociedade.
Diomedes foi muito além de professor.  Educador, na essência dessa palavra. Assumiu como prática de vida os ensinamentos de Paulo Freire. Sua atuação viva, protagonista, marcante nas Escolas, nos Sindicatos, no Partido dos Trabalhadores, na Central Única dos Trabalhadores, denunciava a opressão e anunciava a esperança. Em sua tão curta trajetória física entre nós, apenas 37 anos, utilizou-se da cultura para educar. Navegou pelos mundos da poesia, da música, do teatro, do cinema. A produção deste CD resgata uma parte desse Diomedes. Alguns dos seus poemas foram musicados e interpretados justamente por sua filha, Anabel Vieira, e seu genro Beto Carvalho.
Este CD com os poemas musicados de Diomedes não é uma obra comercial, mas um projeto coletivo que teve mãos, vozes, talentos, empenho das companheiras e companheiros da Direção do SINTESE, dos nossos funcionários, dos músicos, de apoiadores. Que o cantar de Diomedes aqui seja lembrado como o cantar de muitos e muitos trabalhadores, especialmente os do Magistério, onde sua presença histórica é mais marcante, e sua ausência entre nós é mais sentida. No encarte que acompanha o CD, relembramos Diomedes, legando às gerações de agora e às que virão, conhecer um companheiro que foi o primeiro candidato à presidente, pela oposição, na então APMESE, entidade precursora do SINTESE.
Companheiro Diomedes! Sua ausência será sempre PRESENTE! Por isso, o invocamos agora: Companheiro Diomedes, PRESENTE !

Documentário

Foi lançado também o documentário “Dió – O Tempo sem Tempo de Ser”  que através de depoimentos de amigos, parentes e companheiros de luta nos dá um vislumbre do que foi a vida desse lutador do povo.

A luta de Diomedes ficou na história não só dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação, mas para toda a classe trabalhadora sergipana. Seu ideal de mudança da sociedade deve ser lembrado e relembrado.

*Presidenta do SINTESE