SINTESE contribui para viagem de alunos da rede estadual ao Rio Grande do Sul

36

A coordenadora pedagógica da Escola Família Agrícola de Ladeirinhas “A” no município de Japoatã e dois alunos procuraram na última segunda-feira (07) a direção do SINTESE com um apelo.

Janmisson da Silva e William Barros dos Santos precisavam de duas passagens aéreas (ida) para a cidade de Pelotas no Rio Grande do Sul. Os dois alunos foram convidados para realizar estágio curricular na Escola Técnica Agrícola Estadual de Canguçú, através da Embrapa do Rio Grande do Sul. Os dois são estudantes do Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Agropecuária.

A escola tinha enviado ofício a Secretaria de Estado da Educação – SEED no dia 17 de outubro solicitando as passagens, pois o estágio tem a duração de 07 de novembro a 08 de dezembro. Os estudantes teriam que estar em Pelotas no dia 07, mas como até o dia 06 não obtiveram resposta da SEED, procuraram, num ato quase que de desespero, o sindicato.

Além dos dois que viajaram nesta terça-feira (08) outros dois alunos também farão o estágio, mas por conta das atividades do ano letivo eles só viajarão em março de 2012. A única “despesa” da SEED seriam as passagens, pois os custos de hospedagem e alimentação correriam por conta da Empraba/RS.

A informação que a professora Maria do Carmo Freitas, coordenadora pedagógica da escola, obteve na SEED é que não havia previsão para a liberação das passagens. “Disseram-me que precisaria da autorização de um setor da Secretaria da Fazenda e que depois voltaria para a Educação e o pior, mesmo passando por essa burocracia, as passagens não estariam garantidas”, contou.

A direção do sindicato avaliou e decidiu por liberar as passagens por considerar de suma importância a formação qualificada dos alunos e alunas das escolas públicas. Essa seria uma função do Estado, viabilizar a ida dos estudantes, mas como a SEED não se manifestou sobre a questão, o SINTESE contribuiu para que estes alunos não perdessem essa oportunidade.

“Uma chance como esta não pode ser perdida. O Estado deve assumir o seu papel de fomentador do ensino da rede pública, dar condições de trabalho aos professores, equipar as escolas, mas como nesta situação não assumiu, o SINTESE não poderia deixar de contribuir”, apontou Ângela Melo, presidenta do SINTESE.

Maria do Carmo contou também que o apoio da deputada estadual Ana Lúcia também foi importante neste momento de aflição. “Os meninos estavam numa grande expectativa para esse estágio e chegar de última hora e dizer que eles não vão por causa de um detalhe burocrático, é muito frustrante, por isso busquei toda a ajuda possível. Se não fosse o SINTESE nos ajudar neste momento eles perderiam o estágio”, relata.

Como o Governo do Estado quer implantar uma avaliação de desempenho nas escolas se em um momento crucial como este, a SEED não prioriza o esforço de alunos e professores, pois o convite do estágio surgiu após uma vista do professor, João Pedro Zabaleta, da Embrapa/RS a Sergipe em 2010. Na ocasião da visita, ele acompanhou o trabalho dos alunos, e percebeu o potencial deles para o estágio. “É nesse momento que o Estado deveria valorizar o aluno da escola pública, contribuir para sua formação e no caso específico da escola de Ladeirinhas, mais ainda, pois ali funciona uma escola profissionalizante, mas infelizmente isso não aconteceu”, finalizou Ângela.